Posted Maio 22, 2017 by equipetribuna in Paulínia
 
 

Macaco é encontrado morto no Mini Pantanal e suspeita é de febre amarela

O macaco foi achado por pessoas que faziam caminhadas naquela região do bairro Parque da Represa na manhã de terça-feira, dia 16

Animal da espécie sagui foi recolhido pela Vigilância Sanitária para exames

Um macaco sagui foi encontrado morto com suspeita de febre amarela na região do Píer do bairro Parque da Represa, no Mini Pantanal de Paulínia. A Vigilância a Saúde do município recolheu o animal, colheu amostras e encaminhou o material para exames no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. O resultado deve sair em 30 dias.

O macaco foi achado por pessoas que faziam caminhadas naquela região do bairro Parque da Represa na manhã de terça-feira, dia 16. Técnicos do Controle de Zoonoses de Paulínia foram chamados e levaram o animal embora. Este seria o primeiro macaco localizado morto com suspeita de febre amarela na cidade.
Prefeitura confirmou a morte do macaco e o envio de material para análise no Adolfo Lutz. Informou que vai esperar o resultado do exame e manter a programação de vacinação contra a febre amarela na cidade: agendamento pelo 156 para quem vai viajar a áreas de risco e mutirões aos finais de semana em bairros.

Macaco não transmite a doença

O macaco não transmite a febre amarela. Ele serve como sentinela, uma vez que a presença desse animal morto ou doente pode indicar que o vírus da febre amarela está circulando em determinada área.
O macaco é apenas hospedeiro dos vírus Haemagogus e Sabethes, os responsáveis por passarem a doença adiante nas matas, na forma silvestre. A transmissão ocorre quando esses insetos picam um animal doente e, em seguida, outros macacos ou humanos. (Com informações de Paulínia 24h).

. . .




equipetribuna