Posted agosto 21, 2017 by equipetribuna in Paulínia
 
 

Na tribuna da Câmara, Kiko Meschiatti cobra mais atitudes e menos discurso⁠⁠⁠⁠

“Eu acho que esse discurso patético, esse discurso de uma política propositiva não dá mais certo na nossa cidade”, diz Kiko

Kiko disse que Paulínia tem uma política propositiva que se arrasta há décadas e está na hora de transformá-la numa política mais objetiva e efetiva

Os discursos do vereador Kiko Meschiatti (PRB) na Câmara se tornaram o ponto alto das sessões ordinárias. Na última terça-feira (15), o legislador usou a tribuna para cobrar dos colegas vereadores mais atitudes que possam beneficiar a população paulinense.
Ao longo de seu discurso, o vereador disse que fica contrariado quando ouve dos demais legisladores que o prefeito foi eleito pelo voto popular, como se esse fato o abonaria das irregularidades denunciadas pelos munícipes no Ministério Público e na Câmara.
“Quando eu ouço aqui dos nobres colegas que o prefeito foi eleito pelo voto, nossa! Eu também fui eleito pelo voto, mas isso não me dá o direito de superfaturar a merenda das nossas crianças, não me dá o direito de roubar. Eu acho que esse discurso patético, esse discurso de uma política propositiva não dá mais certo na nossa cidade”.
O vereador disse que gostaria de pedir desculpas publicamente para o prefeito de Paulínia, Dixon Carvalho (PP), mas que ainda não consegue encontrar motivos para tal. “Eu queria subir aqui hoje e pedir desculpa para você, senhor prefeito, mas como eu vou pedir desculpas? A situação da merenda está escrachada: olha o que o senhor ofereceu aqui, um lanchinho vencido no Supletivo. Isso aqui não custa R$ 0,15, R$ 0,20 comprado em grande volume, não é nada”.
Para Kiko, o modelo de política que se mantém em Paulínia precisa ser mudado. Na opinião do edil, os vereadores precisam ser mais ativos. “Essa política propositiva que temos hoje em Paulínia, ao meu ver, é patife. Não adianta eu chegar no hospital e tirar foto com secretário. Vai e pergunta para o munícipe que está sentado lá, é ele quem vai falar para você se está sendo bem atendido ou não, e não o secretário”, disse e acrescentou “eu acredito numa política mais objetiva, é olho no olho, chegar no secretário e falar ‘amigo, você tem que resolver esse problema aqui’, é assim que nós vamos resolver. Até quando vamos deixar nossa cidade do jeito que está?”.
Sobre as denúncias contra Dixon que o Ministério Público acatou e que começará a investigar, Kiko reforçou a importância das atitudes dos vereadores. “O MP ouviu e está abrindo os inquéritos. As cobranças estão caindo sob o prefeito. Eu acredito que temos que lutar sim por Paulínia, brigar por ela todos nós e ser verdadeiro. Senhor prefeito, quando o senhor for na rua pedir voto para a população, ao invés de ir com discurso de que vai fazer ponte, vai sem promessa e sem mentira. Diga olha, eu vou entrar para trabalhar, agora inventa um monte de coisas e não consegue cumprir 1/3”.
Novamente se dirigindo ao prefeito de Paulínia, Kiko questionou a transposição de verba, onde R$ 3 milhões foram retirados da Secretaria de Habitação e transferidos para a Câmara.
“O senhor foi lá e zerou a Secretaria de Habitação. O senhor está acabando com o dinheiro que tem no esporte e como é que nós vamos fazer, como nós vamos compreender que seu governo pode ser produtivo? Como acreditar nisso, já se passaram 8 meses e o único projeto que o senhor mandou, mandou revogar, agora o senhor mandou um projeto aqui para tirar o terreno da igreja. Vai entender o que o senhor quer fazer!”.
Na pauta da sessão, estava a votação das contas da campanha eleitoral do ex-prefeito José Pavan Junior (PSDB) referentes ao ano de 2012. Sobre isso, Kiko foi enfático. “Essa política propositiva que foi plantada na nossa cidade vem se arrastando há décadas, desde 94, nunca nenhum prefeito foi fiscalizado, mas hoje o legislativo acordou, vamos acabar de matar mais um ‘leãozão’ aí, hoje a gente manda ele embora. Só vai faltar esse que está de pé aí ainda, mas não vai demorar muito não”.
Mentiras e Centro Geriátrico
Outra questão levantada por Kiko em seu discurso foi uma entrevista que Dixon Carvalho deu à uma emissora de televisão em que afirmou que Paulínia possuía um Rinoceronte no Parque Ecológico Armando Muller.
“A cada dia que passa, vamos nos confundindo mais com esse governo. Recentemente o senhor prefeito fez uma entrevista numa televisão e falou de um rinoceronte no Bosquinho. Onde está esse rinoceronte? Eu sou nascido aqui, sempre frequentei o Bosquinho e nunca vi esse rinoceronte lá, só se colocaram chifre no hipopótamo. Precisamos parar com mentiras e ter bom senso e respeitar o povo de Paulínia”.
Sobre os boatos que correram pelas redes sociais de que Dixon Carvalho iria fechar o Centro Geriátrico de Paulínia e transferir os idosos enfermos para o Hospital Municipal, Kiko também mandou seu recado. “O senhor está pensando que vai mexer com o Centro Geriátrico de Paulínia? Não seja louco de mexer lá, não seja louco, porque o senhor vai arrumar outra confusão comigo. Quer fazer política, faça uma política sensata, faça uma política correta que eu vou respeitar o senhor”.
O vereador encerrou reforçando o pedido de mais atitude dos vereadores. “Vamos abrir nossos olhos, buscar mais informação. É o momento de trazermos o respeito ao legislativo. Volto a dizer, o prefeito foi eleito pelo voto, mas não lhe dá imunidade para ele superfaturar e roubar. Nosso dever constitucional é fiscalizar, mas estamos prevaricando. Tá na hora de colocar um ponto nisso aí”.

. . .




equipetribuna