Posted outubro 16, 2017 by equipetribuna in Destaques
 
 

Restaurante Vitorino prepara jantar com cortes premium

No Vitorino o menu é assinado pelo Chef Rafael Machado

Noite especial terá Kobe Beef no menu. Evento acontece dia 21 de outubro, às 20h

Quem ama um bom corte de carne com marmoreio diferenciado de gordura não poderá perder a noite especial, de Kobe Beef, preparada pelo restaurante Vitorino de Paulínia. Na noite de 21 de outubro, a partir das 20h, o Kobe Premium será a grande pedida nas mesas, servido em duas versões exclusivas e suculentas preparadas pela Casa. O jantar, que se inicia às 20h, trará, no menu, couvert de crostini artesanal, servido com manteiga e flor de sal e, para entrada, Tartar clássico, preparado com o corte de Kobe Premium, picado na ponta da faca, mais rabanetes e frisée.
Os pratos quentes, para escolha dos clientes, serão o corte favorito do nosso Chef, o Flat Iron de Kobe (200g) a R$ 119,00, por pessoa, (mais percentual dos serviços) ou, então, o Steak de Mignon (200g) a R$ 159,00, por pessoa, (mais percentual de serviços), preparados na churrasqueira Scheer, ao ponto.
Para fechar a noite o restaurante terá ainda uma releitura exclusiva de crème brûlée ou frutas da estação, laminadas. Vale lembrar ainda que as bebidas são sempre cobradas conforme o consumo, e que, crianças, de 0 a 06 anos ou 7 a 12 anos têm condições diferenciadas para o jantar (consulte a equipe do restaurante).
As reservas são prévias e, as vagas, limitadas. Mais informações e reservas pelo telefone (19) 3517-8506. O restaurante Vitorino está localizado dentro do Vitória Hotel Convention Paulínia, na Rua Geraldo Ballone, 110 – Jardim América, Paulínia.

 

O Kobe Beef
De origem japonesa o corte está entre as carnes mais caras do mundo e pode custar mais de R$2.000 o quilo. Provenientes, em exclusividade, do boi de raça Wagyu, este animal é especialmente cuidado e não receberia hormônios de tratamento, além de manter uma alimentação diferenciada, com grãos de milho, por exemplo.
Especialmente marmorizada, com veios delicados de gordura que desenham todo o corte, o Kobe é servido, à mesa, de preferência, sem muitos elementos extras (como molhos ou temperos marcantes), e se basta bem grelhado apenas em sal e com acompanhamentos harmonizados, para que sejam preservadas e enaltecidas suas características originais. A maciez e o sabor têm referências diretas ao nível de marmoreio alcançado pela carne (quantidade de veios de gordura que entremeiam as fibras da carne). Influenciado pelo clima e técnicas de criação, no Japão este nível pode chegar até 12 pontos; no Brasil a pontuação está entre cinco e oito. Em todos os casos, a qualidade e a experiência de degustá-las são unicamente especiais, pois são sempre pontuações consideradas excelentes pelos produtores.

. . .




equipetribuna