Posted outubro 20, 2017 by equipetribuna in Destaques
 
 

Assaí investiu R$ 15 milhões em loja inaugurada em Paulínia

Localizada no centro da cidade, a unidade demandou investimento de R$ 15 milhões e gerou 430 vagas de empregos diretos e indiretos 

 O Assaí Atacadista, uma das maiores redes de atacado de autosserviço do País, inaugurou no dia 20 de outubro, sua primeira unidade na cidade de Paulínia, interior do Estado de São Paulo, localizada na Avenida José Paulino nº 2600, no Centro. A nova loja demandou investimento de R$ 15 milhões e é a 10ª unidade do projeto de conversões que o GPA, dono das marcas Extra e Assaí, tem investido desde o ano passado. A unidade possui 5,2 mil m² de área construída, sendo 2,9 mil m² de salão de vendas e gerou 430 empregos diretos e indiretos. 

O projeto de conversões do qual a nova unidade de Paulínia faz parte decorre do processo de uma avaliação minuciosa sobre o potencial de cada região com foco no público-alvo da rede Assaí – pequenos e médios comerciantes, utilizadores e transformadores -, somado ao aumento da busca de famílias que procuram a economia nas compras de grandes volumes. Variáveis como localização, estrutura das lojas e mercado local também suportam essa decisão. A partir de um portfólio multimarcas operando em todo o país, o GPA avalia continuamente seu parque de lojas, realizando inaugurações e conversões de acordo com o perfil das cidades e as características da economia local, sempre com foco em garantir a melhor experiência de compra para seus clientes. “Acreditamos que as localidades escolhidas, incluindo Paulínia, têm características fundamentais para a instalação da operação do Assaí. Estas regiões já possuem um grande público potencial com pequenos e médios comerciantes, além de uma crescente demanda de consumidores que buscam economia nas compras de grandes volumes”, explica Belmiro Gomes, Presidente do Assaí Atacadista.

Para atender as necessidades de todos os clientes que tem acesso às lojas, o Assaí oferece um diferencial: a política de dois preços. Isso significa que o consumidor não precisa comprar uma caixa fechada de um produto para conseguir valores mais competitivos. A partir de pequenas quantidades já é possível pagar o valor de atacado – essa informação está disponível nas etiquetas dos produtos expostos na área de vendas. Além disso, a economia em uma compra realizada no Assaí pode ser de 15% a 20%, de acordo com dados da Nielsen, na comparação com o varejo tradicional.

O Assaí Atacadista atende desde o pequeno e médio comerciante, transformadores (donos de lanchonetes, restaurantes, pizzarias e quiosques), revendedores e utilizadores (igreja, escolas, quarteis), até o consumidor final. A proposta da rede é ser o estoque da pequena empresa, um local em que o cliente empreendedor possa fazer a reposição diária de suas vendas sem a necessidade de compras para longos períodos e estoques, além de contribuir fortemente para a melhoria da oferta de produtos e serviços da região.

Crescimento e economia 

O Assaí é um dos principais atacados do País e tem registrado um crescimento significativo nos últimos anos. Em 2016, a rede inaugurou 13 novas lojas e fechou o ano com vendas brutas de R$ 15,7 bilhões, expansão de 39,2% em relação ao ano anterior. No primeiro semestre de 2017, a rede já cresceu 28,8%, mantendo o ritmo. O crescimento do Assaí pode ser explicado a partir de alguns fatores. Um deles é a assertividade do negócio e a adequação aos diversos públicos que frequentam as lojas, sejam eles consumidores finais em busca de economia, sejam empreendedores que buscam preço baixo para fazer girar o seu negócio de forma viável.

Além disso, o momento econômico mais desafiador que o País vive nos últimos dois anos também colaborou para que as pessoas buscassem formas alternativas para economizar e encontraram no atacado uma opção que vale a pena. De acordo com dados da Nielsen, aproximadamente 10 milhões de famílias migraram dos supermercados e hipermercados para fazer suas compras de abastecimento nas lojas de atacado atraídos principalmente pelo preço. “Soma-se a esse cenário a aceleração da expansão do segmento, bem como do Assaí propriamente dito. Com o crescimento e a abertura de novas lojas do segmento, regiões e cidades que antes não tinham lojas de atacado nos arredores passam a conhecer o segmento e optar por realizar suas compras nesse canal. Desta forma, o atacado chega a novos lugares, atraindo novos públicos e se popularizando”, analisa o presidente da rede.

Nos últimos cinco anos, observa-se nas lojas de atacado, e consequentemente também nas unidades do Assaí, um crescente movimento dos consumidores finais, atraídos pelo preço baixo e economia características do setor. E esse comportamento foi confirmado por pesquisa inédita no setor realizada pelo Data Popular em parceria com o Assaí, com aproximadamente 10 mil clientes em todas as regiões do País, no ano passado. A principal constatação da pesquisa é a confirmação de um movimento efetivo de consumidores finais para essas lojas, em busca de economia diante de uma situação econômica mais desafiadora. 56% dos entrevistados afirmam ter passado a fazer compras no segmento por conta da crise e, destes, 98% dizem que pretendem continuar comprando quando a situação melhorar.

Além disso, o segmento também vem passando por uma remodelação de suas lojas. Desde 2012 o Assaí vem realizando uma reestruturação cujo foco foi desenvolver um modelo de negócio ainda mais voltado aos seus públicos-alvo. A estratégia tem como principal objetivo oferecer condições de maior rentabilidade, otimização do capital de giro e o melhor mix de produtos de acordo com o perfil dos clientes. Uma das mudanças mais percebidas no novo formato é o aumento da área de estocagem na loja, com a elevação do pé direito e metragem das unidades fazendo com que os produtos possam ser armazenados no ponto de venda ao mesmo tempo em que facilita a operação de reposição e giro dos estoques. A estrutura física das lojas ficou mais clara, com fachadas de vidro que permitem a entrada de luz natural, amplas e confortáveis, com ar-condicionado e estacionamento coberto. “Essas adequações fazem toda a diferença para o cliente, principalmente para esse público que passou a conhecer o atacado nos últimos dois anos. Além do atrativo de preços mais baixos e economia nas compras, uma loja confortável e de fácil circulação, colabora para tornar o momento da compra mais agradável e fideliza o cliente que está pela primeira vez em uma das nossas lojas”, finaliza Belmiro Gomes.

. . .




equipetribuna