Posted outubro 24, 2017 by equipetribuna in Destaques
 
 

Braskem e Made In Space expandem parceria para reciclagem de plástico na Estação Espacial

A impressão em 3D sob demanda aumenta a confiabilidade e segurança de missões espaciais

Empresas desenvolvem em conjunto tecnologia que permitirá, pela primeira vez na história das missões espaciais, reciclagem de plástico em gravidade zero

Após a chegada do Plástico Verde I’m green™ ao espaço para impressão 3D de ferramentas em março de 2016, os astronautas na Estação Espacial Internacional (International Space Station – ISS) poderão, a partir de 2018, utilizar uma recicladora de objetos e embalagens plásticas, capaz de ampliar ainda mais a autonomia e a sustentabilidade das futuras missões fora do Planeta Terra.
A iniciativa é uma ampliação do projeto “Imprimindo o Futuro”, uma parceria da Braskem com a Made In Space, empresa norte-americana líder no desenvolvimento de impressoras 3D para operação em gravidade zero e fornecedora da NASA. Esta será a primeira operação comercial de reciclagem de plástico na história das missões espaciais.
No ano passado, a parceria levou o Plástico Verde – uma resina de origem renovável a partir da cana-de-açúcar – para ser utilizado para impressão de ferramentas e peças de reposição pelos astronautas. A previsão é que a recicladora chegue à Estação Espacial no segundo semestre de 2018 e complete, de forma sustentável, inovadora e eficaz, o ciclo do plástico na ISS. A invenção vai contribuir para a redução dos custos das missões espaciais e para a redução do peso transportado a partir da Terra.
“Existe um potencial significante para reciclagem de plásticos na ISS. Embalagens de alimentos, por exemplo, podem ser reutilizadas para a produção de objetos úteis aos astronautas ao invés de serem descartadas. No futuro, a recicladora e a impressora 3D devem formar um pacote único que aumentará a autonomia e a sustentabilidade de missões espaciais de alta duração”, afirma Andrew Rush, presidente & CEO da Made In Space.
A máquina consiste em um sistema de moagem e extrusão de plásticos, produzindo um filamento adequado à impressora 3D, que já se encontra instalada na Estação Espacial Internacional. Com acesso à recicladora, os astronautas poderão reutilizar, em outras funções, as ferramentas e peças de Polietileno Verde fabricadas anteriormente na impressora 3D, além de outros materiais plásticos já existentes na ISS e sem uso, como embalagens de alimentos.
“Levar a primeira recicladora de plástico para o espaço é mais um grande desafio e motivo de orgulho para a Braskem. Este é o segundo passo da nossa parceria com a Made In Space, na qual propomos fechar o ciclo do plástico com sustentabilidade, desde a produção do Polietileno Verde a partir da cana-de-açúcar até a reciclagem do polímero para novos fins”, afirma Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem.

Plataforma Wecycle
Aqui na Terra, a Braskem também tem como foco o desenvolvimento de iniciativas de reciclagem e segue incentivando a reutilização do plástico por meio da plataforma Wecycle, criada com o objetivo de fomentar negócios que valorizem os resíduos plásticos pós-consumo. A ação reforça o compromisso da companhia com a cadeia do plástico no Brasil ao estimular o desenvolvimento de produtos com conteúdo reciclado, garantindo a qualidade técnica, confiabilidade e os valores ambientais e sociais para todo o setor.
A Braskem conta com uma área específica de reciclagem e plataforma Wecycle para fortalecer as parcerias com seus clientes, recicladores e brand owners, na busca de melhores soluções para aplicação de suas resinas recicladas. Empresas como Grupo Pão de Açúcar (GPA) e Muzzicycles desenvolveram novas soluções que envolvem a reciclagem do plástico por meio da integração dos diversos elos da cadeia.

. . .




equipetribuna