Posted dezembro 9, 2017 by Tribuna Paulínia in Paulínia
 
 

Presidente da Câmara não tem liderança com manifestantes

Du Cazellato abusa da sua autoridade e desrespeita Tiguila

Durante a sessão da última terça-feira (5), o vereador Tiguila Paes (PPS) cobrou uma atitude do presidente da Câmara Municipal de Paulínia, Du Cazellato (PSDB), diante dos insultos proferidos contra ele por Marco Antonio de Paula, o Capivara, e Rodrigo Pavane, morador de Campinas, conhecido como “boca de aluguel”. Toda vez que o vereador vai usar a Palavra Livre a dupla começa a disparar ofensas e palavras de baixo calão contra ele. 

O vereador falava sobre o corte de R$ 32 milhões na dotação orçamentária do transporte escolar municipal, no ano que vem, e da viagem que fez à Brasília, quarta-feira (29), para tratar de assuntos ligados ao funcionalismo público municipal, quando a dupla começou a insultá-lo. “Senhor Presidente exerça de sua função e coloque ordem na Casa. Difícil, Presidente. Tome um posicionamento. Aí, o senhor fica só olhando pra mim, fica difícil o senhor tomar um posicionamento”, cobrou Tiguila (PPS).   “Na hora certa, eu tomo. Na hora certo, eu vou tomar, pode ficar tranquilo”, respondeu Du Cazellato (PSDB).

As ofensas continuaram e o vereador, mais uma vez, protestou: “É que toda sessão tá da mesma forma. Toda sessão tá assim, senhor presidente. Use de sua prerrogativa. O senhor não precisa dar risada para mim, presidente. Eu apenas estou pedindo um direito que é meu”. O presidente da Mesa não tomou nenhuma atitude, mas Tiguila (PPS) conseguiu continuar seu discurso. O caso foi muito comentado nas redes sociais e a falta de pulso do presidente do Legislativo Municipal muito criticada. O presidente da Câmara, Du Cazellato, foi procurado pela reportagem via assessoria de imprensa, mas não quis se manifestar sobre o assunto.

Nota do vereador
“O direito à manifestação é legítimo e democrático. Ataques pessoais, acusações levianas e palavrões são inadmissíveis, ainda mais quando vem de pessoas que não moram na cidade e são pagas para vir às sessões fazer esse tipo de trabalho sujo.  Eles não desrespeitam apenas nós, vereadores, mas também as senhoras, senhores e até crianças que participam das sessões.

Cobrei um posicionamento do Presidente porque isso vem acontecendo há muito tempo e cabe a ele manter a ordem na Casa, durante os trabalhos. Ele precisa mostrar pulso, combater esse tipo de coisa, e não ficar dando risada da nossa cara, nos desrespeitando da mesma forma. Tomara que as coisas mudem daqui por diante, caso contrário não haverá outra alternativa a não ser medidas judiciais cabíveis, contra quem quer que seja”. 

. . .




Tribuna Paulínia