Posted Janeiro 15, 2018 by equipetribuna in Educação
 
 

Dixon muda regras do transporte universitário e deixa estudantes na mão

Dixon muda regras do transporte universitário e deixa estudantes na mão

Pedidos serão julgados por uma comissão da Secretaria de Transportes

As novas regras estabelecidas pela Prefeitura de Paulínia para o transporte universitário pegaram muita gente de surpresa. Além de restringir o acesso ao benefício a pessoas com renda familiar de até dois salários mínimos por membro da família, outra novidade é a determinação da distância máxima de 50 quilômetros entre Paulínia e a cidade onde o candidato vai estudar.

As regras foram publicadas no Semanário Oficial no dia 20 de dezembro, através do Decreto 7236/2017, baixado pelo prefeito Dixon Carvalho (PP). Válido a partir deste ano letivo, o conjunto de mudanças faz parte do plano da atual administração de redução dos custos municipais.

A estudante Caroline Silva procurou a prefeitura para renovar seu benefício e foi orientada a fazer um cadastro no PAS (Programa de Ação Social). Agora ela aguarda a confirmação da prefeitura para saber se poderá fazer seu recadastramento pelo site. “Como já tenho direito ao benefício, acredito que não vou perder, mas acho que faltou informar a população sobre o que realmente está acontecendo”, disse.

Além da renda, os candidatos também devem comprovar residência na cidade de cinco anos, no mínimo. Até então, a exigência era de dois anos.

Ainda segundo o Decreto, os estudantes já beneficiados pelo transporte universitário da Prefeitura de Paulínia serão mantidos, no entanto, poderão ter seus itinerários alterados, caso a ocupação do atual seja inferior a um terço da capacidade do ônibus.

O transporte universitário também só será concedido ao estudante quando o curso escolhido por ele não existir no município, ou existir, mas não tiver vagas disponíveis, bem como se a universidade escolhida for conveniada à Prefeitura da cidade.

Os pedidos do benefício serão analisados, acatados ou rejeitados por uma Comissão Especial presidida pelo atual secretário de Transportes, Laércio Giampaolli, e formada  por cinco servidores da pasta.

 

Distância

Outro ponto polêmico do Decreto é o que limita em 50 quilômetros a distância entre a instituição de ensino e a cidade. Com isso, paulinenses que estudam nos municípios de Araras, Bragança Paulista, Itatiba, Piracicaba e Rio Claro não terão mais direito ao benefício.

Quem prestou vestibular no ano passado e vai começar a estudar este ano em um desses cinco municípios ou em outros a mais de 50 quilômetros de Paulínia, também, não será atendido pelo transporte gratuito. Já quem utilizava o transporte da Prefeitura para fazer pós-graduação está sendo avisado pela administração que não terá mais o benefício, isso, porque o Decreto prevê ônibus apenas para o primeiro curso superior ou técnico.

. . .




equipetribuna