Posted Janeiro 30, 2018 by equipetribuna in Paulínia
 
 

Ministério Público pede anulação de sessão e afastamento de 13 vereadores

Além da anulação da sessão e do afastamento de 13 vereadores a promotora indica a posse dos suplentes e nova reunião para refazerem a votação

Edis são acusados de barrar instauração de duas CPIs contra Dixon Carvalho

A rejeição de denúncias contra o prefeito Dixon Carvalho (PP) por suposta organização criminosa e corrupção levou o Ministério Público a pedir a anulação da 14ª Sessão Ordinária de 2017 da Câmara de Paulínia e o afastamento de 13 dos 15 vereadores. Apenas Kiko Meschiati (PRB) e e Tiguila Paes (PPS) ficaram de fora da denúncia

Os vereadores teriam barrado instauração de duas CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito) contra o chefe do executivo, em troca da nomeação de cabos eleitorais para cargos da administração.

Além da anulação da sessão e do afastamento de 13 vereadores a promotora Verônica Silva de Oliveira indica a posse dos suplentes e nova reunião para refazerem a votação.

O parecer do MP agora está sob análise do juiz da 1a Vara Cível, Carlos Eduardo Mendes.

Denúncia

Na denúncia, o sargento aposentado da Polícia Militar Luiz Roberto de  Lima acusa o prefeito de nomear correligionários dos vereadores Zé Coco (PV), Fábio Valadão (PRTB), Fábia Ramalho (PMN), Xandynho Ferrari(PSD), Marcelo D2 (PROS), Marinho Fiorella (PSB), Danilo Barros (PR), Flávio Xavier (PSDC), Loira (PSDC), João Pinto Mota (PSDC), Edilsinho Rodrigues (PSDB), Manoel Filhos da Fruta (PCdoB) e Du Cazellato (PSDB), supostamente, em troca de votos na Câmara.

. . .




equipetribuna