Início Destaques Abertura do III Festival de Capoeira discute a atividade como Jogo

Abertura do III Festival de Capoeira discute a atividade como Jogo

Com o objetivo de difundir a cultura e a prática do esporte, a Associação Rainha do Engenho realizou , dia 24 de abril, na Câmara Municipal de Paulínia, a abertura do III Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular, concomitante a realização da I Conferência do Estado de São Paulo do Jogo de Capoeira.

Com o apoio das Secretarias de Cultura, Criança e do Adolescente, Transportes, Promoção e Desenvolvimento Social, Segurança Pública, Turismo, Esportes e Recreação, patrocinados pela Petrobras, o evento que este ano deverá contar com capoeirista de mais de 50 cidades do Estado de São Paulo, Bahia e Ceará, pretende fazer debates para um avanço da Cultura dentro das Leis já instituídas no Brasil. O Festival também contará com oficinas de capacitação para professores e oficinas socioeducativas, incentivando o trabalho da capoeira, desmistificando as diretrizes da Capoeira de Angola, Regional e Contemporânea.

O secretário de Esportes e professor Alcides José Scaglia palestrou na abertura do evento, focando a Capoeira como um jogo, e na importância de não torná-la em competição, pois a partir daí ela perderá o sentido cultural em que atua, despertando os participantes para atividades artísticas, musicais, cênicas e outros, ampliando e ativando as energias criativas.

O Professor em Antropologia Jair Aniceto de Souza provocou um debate tentando desmistificar essa alusão que se dá a Capoeira como religião, e que nada mais é do que um jogo, uma arte em ritmos e movimentos que exprimem toda a criatividade de um povo que foi oprimido.

O evento contou com a bênção da Sacerdotisa da Organização Inzo Musambu Hongolo de Hortolândia, Eunice de Souza, mais conhecida como Mãe Dango, que além de abençoar os capoeiristas, falou da simplicidade e da valentia dos negros que fundaram a atividade como instrumento de defesa contra o Capitão do Mato no tempo da escravidão.

Os alunos da APAE se apresentaram sob a coordenação de Maria da Guia, e acabou provocando nos presentes e palestrante uma admiração, pela capacidade da Capoeira em levar a alegria de forma lúdica, incluindo todos, independentes das suas limitações.

Os palestrantes elogiaram a ação do Mestre Domingos frente à Associação Rainha do Engenho e o trabalho social por ele desenvolvido. O Mestre Domingos por sua vez agradeceu o apoio de todas as Secretarias envolvidas, e ao Prefeito José Pavan Júnior pela oportunidade da realização de mais um Festival.

No dia 8 de Maio, acontecerá a partir das 9 horas, Curso de Capacitação no Parque Brasil 500, e dia 9, em frente ao Theatro Municipal, aulão aberto a todos os praticantes de capoeira e iniciantes com programação extensiva para todo o dia.