Início Esportes Após “fechamento” do Paulínia FC, Prefeitura apoia Base do Guarani

Após “fechamento” do Paulínia FC, Prefeitura apoia Base do Guarani

Com PFC “fora de campo”, Prefeitura de Paulínia fecha parceria com Guarani
Com PFC “fora de campo”, Prefeitura de Paulínia fecha parceria com Guarani

“Era desse apoio que nós, alunos do PFC, precisávamos para manter o clube da nossa cidade em funcionamento, mas a Prefeitura de Paulínia prefere apoiar times de fora. Estão governando para quem?”, disse o ex-aluno P.S

As equipes de base do Guarani Futebol Clube, de Campinas, Sub-15, Sub-17 e Sub-20, treinarão e mandarão seus jogos em Paulínia e, segundo a nota enviada pela assessoria de imprensa da Prefeitura, meninos das escolinhas de futebol da cidade terão oportunidades para jogarem no Guarani.

A parceria foi firmada nesta terça-feira, 10, em reunião no gabinete do prefeito José Pavan Júnior, com a presença de dirigentes do Guarani e do supervisor da base do clube, Edmar Bernardes, ex-jogador do Bugre e da Seleção Brasileira. De acordo com a nota, o objetivo é estimular a prática de esportes.
O vice-presidente do Guarani, Assis Eurípedes de Oliveira, destacou que, como “contraponto” o clube criará “Dias de Teste” para jogadores das escolinhas de Paulínia.
Na parceria, as equipes de fora vão treinar na Praça de Esportes de Itapuã e no Estádio Municipal Luiz Perissinoto, no mesmo lugar onde treinavam e jogavam as equipes do Paulínia Futebol Clube.
O Guarani disputará o Campeonato Paulista da 1ª Divisão Sub-15, Sub-17 e Sub-20 em Paulínia. O contrato de parceria terá duração de dois anos

 

PFC sem apoio

O Paulínia Futebol Clube (PFC) anunciou no final do mês de fevereiro a suspenção de todas as suas atividades para o ano de 2015. O time, que já havia disputado a Copa São Paulo de Futebol Junior em janeiro, se preparava para encarar a segunda divisão do Campeonato Paulista, mas pediu licença de todas as competições da Federação Paulista de Futebol e passará o resto do ano sem entrar em campo.
O presidente de honra e idealizador do PFC, Francisco Almeida Bonavita Barros, disse que os motivos são nítidos e exclusivamente políticos. De acordo com ele, a diretoria do Clube prefere evitar problemas com o atual prefeito, José Pavan Junior (PSB) por falta de apoio. “Em 2011, quando ele [Pavan], era o prefeito, estávamos disputando o Paulista e foi um momento complicado, difícil de lidar. Por causa de política, ele [Pavan] enxerga o Paulínia FC como sendo apenas o Bonavita e não o projeto todo que é ‘patrimônio da cidade’. Ele faz de tudo para me atingir e não enxerga que o time não tem dono e pertence a cidade”, disse. Bonavita afirmou ainda que não sabe precisar o período exato da licença.
Mesmo sem receber verbas públicas, o Paulínia FC depende da Prefeitura de Paulínia para usar o estádio Luiz Perissinotto, onde manda seus jogos e as dependências da praça esportiva do Jardim Itapuã. “Em 2011, o senhor Pavan, que está no comando desta cidade, cortou a subvenção das categorias de base e desde então caminhamos com dificuldades, mas sobrevivemos. Sabemos que ele não gosta de esporte e para evitar problemas que seriam refletidos nos jogadores e nos alunos, vamos ficar de fora este ano”, ressaltou Bonavita.
Após saber da parceria entre a Prefeitura e o Guarani, ex-alunos do PFC ficaram indignados. “Era desse apoio que nós, alunos do PFC, precisávamos para manter o clube da nossa cidade em funcionamento, mas a Prefeitura de Paulínia prefere apoiar times de fora. Estão governando para quem?”, disse um ex-aluno que preferiu ser identificado apenas como P.S.
Outro ex-aluno questionou o incentivo ao esporte pela atual administração. “Para o Paulínia FC não tem apoio, mas para o Guarani tem. Que incentivo é esse? O que o Bonavita tinha falado acabou de ser comprovado, é perseguição política mesmo, mas o Pavan mira no político e atinge todos nós. Lamentável”, afirmou L.R