Início Empresarial Braskem e empresa norte-americana enviam recicladora de plástico à Estação Espacial Internacional

Braskem e empresa norte-americana enviam recicladora de plástico à Estação Espacial Internacional

A recicladora irá transformar resíduos plásticos em matérias-primas para desenvolvimento de novos itens, garantindo mais autonomia e sustentabilidade nas missões

A recicladora de plástico desenvolvida pela empresa norte-americana Made In Space – contratada pela NASA para desenvolver novas tecnologias para operação em gravidade zero – foi lançada ao espaço em parceria com a Braskem, durante a 12ª missão comercial de reabastecimento da empresa Northrop Grumman (NG12) à Estação Espacial Internacional. O projeto é considerado a primeira operação comercial de reciclagem de plástico na história das missões espaciais.
O lançamento foi feito no início deste mês, numa estação de voos da NASA localizada numa ilha na Costa Leste, no estado da Virgínia, nos Estados Unidos. O objetivo é ampliar ainda mais a autonomia e a sustentabilidade das missões espaciais, facilitando o dia-a-dia dos astronautas, que poderão transformar os resíduos plásticos em matérias-primas para o desenvolvimento de novos itens.
A parceria entre as duas empresas integra uma série de iniciativas da Braskem em prol da economia circular e faz parte do projeto da Braskem “Imprimindo o Futuro”, que em 2016 levou para a Estação Espacial uma impressora 3D, que utiliza plástico de fonte renovável feito à base da cana-de-açúcar para manufatura de peças no espaço.
“O plástico de fonte renovável foi escolhido por reunir características como flexibilidade, resistência química e reciclabilidade. A capacidade de imprimir peças e ferramentas em 3D sob demanda aumenta a confiabilidade e segurança de missões espaciais. A recicladora em órbita poderá contribuir, por exemplo, com reposição de peças danificadas e produção de ferramentas sob demanda. Dessa forma, é possível fechar o ciclo do plástico na Estação Espacial, reduzindo a dependência de matérias-primas enviadas a partir da Terra”, explica Fabiana Quiroga, diretora de Economia Circular da Braskem na América Latina.
A tecnologia utilizada para que a recicladora opere em gravidade zero foi desenvolvida pela empresa norte-americana e passa por testes desde 2016. O equipamento irá moer os resíduos plásticos, fundi-los e produzir um novo filamento do mesmo polímero. Na sequência, este filamento poderá ser utilizado na impressora 3D para a manufatura de novos objetos. O processo de reciclagem é automatizado e requer intervenção mínima da equipe de astronautas.
Há dois anos, a Braskem segue investindo no desenvolvimento de tecnologias para impressão 3D. Essa tecnologia permite fabricar um objeto físico tridimensional a partir de um modelo digital, por meio da deposição de sucessivas camadas de material.