Início Meio Ambiente Cantareira mantém liberação de água até 15 de maio

Cantareira mantém liberação de água até 15 de maio

Na avaliação do Consórcio PCJ, a vazão será insuficiente para garantir o abastecimento da região
Na avaliação do Consórcio PCJ, a vazão será insuficiente para garantir o abastecimento da região

Segundo Consórcio PCJ, essa vazão será insuficiente para garantir o abastecimento da região, já que os rios estão baixos e 20 cidades entraram em estado de alerta

Com o avanço da estiagem, os gestores do Sistema Cantareira decidiram manter, até 15 de maio, as mesmas descargas de água para a Grande São Paulo e a região de Campinas, que foram praticadas em abril. Assim, na primeira quinzena, as Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) terão, no máximo, uma descarga de 1,5 metros cúbicos por segundo (m3/s) e a Grande São Paulo, até 13 m3/s. Essa descarga, na avaliação do Consórcio PCJ, será insuficiente para garantir o abastecimento da região. Os rios estão baixos e nesta quarta-feira (6) 20 cidades do Alto Atibaia e da bacia do Camanducaia entraram em estado de alerta.

Em 2014, que é considerado com a estiagem mais severa dos últimos 90 anos, os rios das Bacias PCJ apresentaram recordes de baixas vazões. O Rio Piracicaba, por exemplo, que nessa época mais seca do ano, costuma apresentar vazões de 50 m³/s, chegou apresentar 4 m³/s, durante o mês de agosto, a menor vazão já registrada.

Rio Atibaia

O Rio Atibaia, próximo à captação de Valinhos e Campinas, teve momentos de vazões de 3 m³/s, quando o natural seria no mínimo 15 m³/s. Em função disso, os técnicos do Consórcio PCJ concluem que certamente, serão necessárias vazões superiores aos 1,5 m³/s, vazão máxima atualmente limitada pelos organismos gestores às Bacias PCJ.
A Agência Nacional de Águas (ANA) divulgou na segunda-feira (4) comunicado conjunto estabelecendo as vazões para a primeira quinzena de maior e devem definir regras para os próximos meses de estiagem na bacia do Cantareira. A proposta é ter meta estratégica para a situação do sistema em 30 de novembro e uma metodologia que defina vazões variáveis de retirada para atingir a meta que for definida.