Início Empresarial Cooperlínia e Corpus se reúnem para melhorar qualidade dos resíduos

Cooperlínia e Corpus se reúnem para melhorar qualidade dos resíduos

Durante a reunião ficou definida a necessidade da promoção de campanhas educativas e fiscalização
Durante a reunião ficou definida a necessidade da promoção de campanhas educativas e fiscalização

Contaminação é um dos principais problemas enfrentados na hora da reciclagem

A má qualidade nos resíduos que chegam à triagem da Cooperlínia tem chamado a atenção e causado prejuízos à cooperativa de reciclagem de Paulínia. Hoje, cerca de 40% do material que chega à triagem é rejeitado devido a contaminação. Essa contaminação acontece quando os resíduos não são descartados corretamente, sendo misturados principalmente a resíduos domésticos orgânicos.

Esse rejeito já foi de 15% até o ano de 2012. O crescimento da quantidade de resíduos contaminados tem causado prejuízo mensal de R$ 45 mil à unidade que segrega cerca de oito toneladas por dia. Com o objetivo de identificar as falhas na coleta seletiva o Estudo Gravimétrico é realizado com frequência.
O estudo consiste em avaliar os resíduos oriundos de clientes e coleta seletiva que chegam à triagem. A partir daí, é criado um diagnóstico da qualidade, produzidos relatórios e avaliados custos que levam em conta paradas na esteira e tempo desperdiçado com a segregação do que não pode ser reciclado e segue diretamente para o aterro sanitário.
Para estimular mais conscientização, o presidente da Cooperlínia Ambiental do Brasil se reuniu com representantes da Corpus Saneamento–responsáveis pela coleta- para discutir medidas que diminuam a quantidade de resíduos contaminados. A cidade conta com coleta seletiva e lixeiras identificadas para facilitar a destinação adequada dos resíduos.
“O problema é que as pessoas não estão atentas na hora de separar os resíduos. Não basta ter lixeiras adequadas e coleta periódica. É importante ter consciência na hora de separar”, pede o presidente da Cooperlínia, José Carlos Silva.
O mesmo é compartilhado pelo gerente operacional sênior da Corpus, Denis Roberto do Rego. “O poder de decidir a qualidade dos resíduos é do gerador, ou seja, cada cidadão que faz o descarte. A cidade conta com coleta adequada e containers bem identificados. Cabe a cada um fazer sua parte”, defende.
Durante a reunião ficou definida a necessidade da promoção de campanhas educativas e fiscalização. “Entendemos que esse cenário mude com educação e punindo quem desrespeitar as normas. Mas para isso precisamos de planejamento e ações a longo prazo”, reitera Denis.
“Indiferente dos bairros ou condomínios a situação está crítica, por isso precisamos de ações continuadas de educação em todas as áreas da cidade”, completa José Carlos.
A partir de agora, a Corpus deve trabalhar em um cronograma de atividades, pensado a partir dos levantamentos da Cooperlínia. Enquanto isso, quem flagrar desrespeito na hora da segregação dos resíduos pode denunciar através do telefone do Lixo Zero: 3874-4545 ou 3874-3157.