Início Empresarial Dia da Mulher: Braskem aposta em lideranças femininas

Dia da Mulher: Braskem aposta em lideranças femininas

Ocupando com perfeição a função que antes somente homens ocupavam: Cristiane é coordenadora de engenharia de processos em três unidades da Braskem

No dia 08 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher e a bandeira levantada pelas mulheres, cada vez mais presentes no mercado de trabalho, reflete a organização crescente destas que, ao longo da história, têm procurado novas formas de estarem inseridas na sociedade. Para a data, a Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, destacou duas de suas lideranças, que atualmente representam tão bem a conquista feminina em funções e cargos de “alto escalão”.

Cristiane Tolotti Rossi é graduada e com mestrado em Engenharia Química. Tem 37 anos e conta com uma experiência de 10 anos na indústria. Na Braskem há cinco anos, é coordenadora de engenharia de processos em três unidades (PP3 – Paulínia; PP4 Mauá; PP5 Rio de Janeiro). A executiva lidera uma equipe de 11 engenheiros, sendo que cinco são homens. Sua função na Braskem é dar apoio à área de produção na busca de melhorias de processos, além de ser responsável pela parte do Projeto Conceitual (desenvolvimento inicial de investimentos das unidades).

Outro destaque da Braskem é Vanessa Abreu Berdulles Souza, engenheira sênior da área Qualidade e Produtividade da Braskem. Trabalha na Braskem de Cubatão (PE8) há 14 anos. Tem 35 anos e é formada em engenharia química pela UniSanta. Sua função na fábrica é implementar um programa que auxilie na melhora da produtividade, portanto tem contato direto com operários, em sua grande maioria do sexo masculino.
A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas. Com 36 plantas industriais distribuídas pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha, a empresa produz anualmente mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos. Com a inauguração de sua fábrica de polietileno derivado de etanol de cana-de-açúcar, com capacidade anual de 200 mil toneladas, tornou-se a maior produtora de biopolímeros do mundo.