Início Paulínia Durante entrevista no DaniCast, Wilson Machado divulga que será candidato a presidente...

Durante entrevista no DaniCast, Wilson Machado divulga que será candidato a presidente da ACIP

O empresário já comandou a ACIP, onde destacou-se no papel de líder visionário

 

O diretor do Jornal Tribuna, Wilson Machado, divulgou com exclusividade no podcast Danipodcast, de Danilo Barros, que será candidato a presidência da Associação Comercial e Industrial de Paulínia (ACIP) para o quadriênio 2024 – 2028.

Wilson Machado comandou a ACIP por quatro anos, entre 2008 e 2011. O objetivo do empresário ao se candidatar ao cargo é continuar o plano de desenvolvimento do Comércio e da Indústria de Paulínia. Entre os projetos a serem implantados estão o Clube de Campo para os funcionários do comércio, o Cartão ACIP e a continuidade do contrato com o CIEE.

No mês de maio, Wilson Machado recebeu uma moção de congratulações pelo aniversário de 20 anos do Jornal Tribuna, que presta relevantes e fundamentais serviços para o município na área da comunicação.

Biografia

O empresário de 62 anos é casado, pai de nove filhos, e revelou que já trabalhou como engraxate, auxiliar administrativo, diretor e gerente de instituições financeiras. Iniciou sua experiência no setor de comunicação com carros de som e logo depois criou a Revista Meio Artístico e o Jornal Tribuna, que hoje é dirigido por seu primogênito.

A experiência no ramo empresarial levou Machado à presidência da ACIP, onde destacou-se no papel de líder visionário. Durante sua administração, a instituição realizou diversas parcerias benéficas aos comerciantes associados, além de promover ações que fomentaram o comercio local, como o Festival de Prêmios, que por três anos consecutivos, distribuiu quase R$ 1 milhão em prêmios, entre os quais destacam-se bicicletas, notebooks, vídeo-games, celulares, motos, carros e uma casa construída em moldes sustentáveis e inteiramente mobiliada.

Na política, Wilson Machado foi convidado a assumir a Secretaria de Indústria e Comércio em 2013. Atuou na pasta por pouco mais de um ano e meio e pediu sua própria exoneração. “Me senti frustrado em não ter autonomia e não conseguir desenvolver todas as minhas ideias para a pasta”, disse na época.

 

Artigo anteriorGuarda Patrimonial recebe 5 novas viaturas para auxiliar as equipes do Centro de Monitoramento Integrado de Paulínia (CMIP)
Próximo artigoDu Cazellato recebe visita da deputada estadual Valéria Bolsonaro