Início Paulínia Edson Moura abandona PMDB de Paulínia

Edson Moura abandona PMDB de Paulínia

Edson Moura esteve no palco da convenção do PPS de Sumaré e declarou apoio à candidatura do filho de Dalbem
Edson Moura esteve no palco da convenção do PPS de Sumaré e declarou apoio à candidatura do filho de Dalbem

Ex-prefeito não compareceu na convenção de seu partido. Na mesma data e horário, Edson Moura estava em Sumaré prestando seu apoio à candidatura do filho de Dirceu Dalben pelo PPS, o mesmo partido de Tuta Bosco em Paulínia. Fato causou o “racha” do partido

 

“O PMDB de Paulínia está rachado”. É assim que a grande maioria dos filiados e eleitores da legenda classificaram a atual situação do partido nas redes sociais. Isto porque na sexta-feira (5), às 19h, o diretório municipal do PMDB realizou a convenção para a escolha dos candidatos ao pleito de 2016, mas os nomes mais aguardados, os ex-prefeitos Edson Moura e Edson Moura Junior, não comparecerem ao evento. No mesmo horário, eles estavam na convenção do PPS de Sumaré, o mesmo partido de Tuta Bosco em Paulínia.
Diante da conduta dos maiores líderes do PMDB em Paulínia, o presidente da legenda, Anísio Trindade, resolveu em comum acordo com os demais membros do partido, que a chapa que concorreria às eleições deste ano não seria finalizada naquele dia, já que Edson Moura ficaria responsável em escolher o candidato a prefeito pelo partido, mas não compareceu ao evento.
A legenda já havia anunciado pelo menos três nomes à majoritária: Arthur Freire, Cícero Brito e Sanzio Rodrigues. “Manteremos a chapa de vereadores, mas quanto aos candidatos a prefeito, vamos nos reunir e decidir depois”, disse Trindade durante o encontro político.

Edson Moura Junior acompanhou o pai e a madrasta e também esteve no palco
Edson Moura Junior acompanhou o pai e a madrasta e também esteve no palco

O fato provocou indignação entre os correligionários e no dia seguinte, sábado (6), o assunto foi um dos mais comentados nos grupos de discussão política no Facebook. O ex-assessor de assuntos especiais do governo Edson Moura Junior e um dos nomes mais fortes do partido, Edgard de Moraes Silva foi o primeiro a desabafar em seu perfil. “…é uma vergonha um partido como o PMDB, que elegeu 4 prefeitos, ficar de fora de uma eleição. Partido sem candidatos, tendo a primeira dama do país, cidadã do município, seu esposo como presidente e líder do PMDB nacional, ficar fora de uma eleição por incompetência de seu líder que abandonou seu grupo por 1ano e 8 meses deixando acabar com sua história…”.
Membros e simpatizantes do PMDB apoiaram a postagem. “É triste ver um partido tão bonito, cheio de lutas, de uma trajetória histórica para o Brasil como é o PMDB, estar hoje enfrentando esta situação em Paulínia”, disse Tati Mazziero.
“Verdade e é triste essa desfeita, por isso procurei outra direção, não sei o que se passa na mente desse homem”, indagou Lucineia Santos.
Outros internautas optaram por ressaltar a falta de comprometimento de Edson Moura com o seu partido em Paulínia. “Como assim ele trocou o PMDB pelo PPS de Sumaré? Vai dizer que ele está apoiando o Tuta também? Afinal é o mesmo partido!”, questionou Leonardo Silva.
Já Regina Cândido generalizou a política paulinense. “Eu sempre disse que os candidatos de Paulínia eram todos amiguinhos, que um não era e nunca foi adversário um do outro, eles só ficam é revezando a prefeitura. Agora é a vez de mais um ‘cuidar’ do nosso dinheiro, o Tuta que ele está apoiando”.
Candidatos

Traídos: Sanzio, Cícero e Arthur divulgaram a pré-candidatura pelo PMDB, mas rachado, legenda decidiu por Adriano Moura
Traídos: Sanzio, Cícero e Arthur divulgaram a pré-candidatura pelo PMDB, mas rachado, legenda decidiu por Adriano Moura

Com a repercussão do caso, na noite de sábado, o PMDB de Paulínia decidiu o rumo do partido mesmo sem o apoio de Edson Moura e de Edson Moura Junior. Mantendo a chapa inicial de candidatos a vereadores, a legenda decidiu lançar Adriano Moura e Willian Rodrigues como candidatos a prefeito e vice, respectivamente.
“A negligência dos Mouras somada à falta de posicionamento do atual presidente do PMDB provocaram o racha do partido. Muita gente boa, gente forte na política decidiu sair e apoiar outros candidatos. Posso dizer que o Sanzio, o Arthur, o Cícero que eram candidatos e mais o Edgar foram traídos pelo próprio partido e romperam. Aí a única escolha foi o Adriano Moura para não ficar de fora da majoritária. É vergonhoso, o PMDB de Paulínia acabou”, disse um militante do partido que preferiu não se identificar.

 

Moura em Sumaré
Edson Moura, sua esposa Nani Moura e seu filho Edson Moura Junior subiram ao palco da convenção do PPS de Sumaré. O partido promovia na mesma data e horário sua convenção que lançou o vice-prefeito de Sumaré, Luiz Alfredo Dalben como candidato a prefeito.
Luiz Alfredo é filho do vereador Antônio Dirceu Dalben (PPS), ex-prefeito da cidade e representante do PPS na Câmara. O vice da chapa é o vereador Henrique Stein Sciascio, o Henrique do Paraíso (SD).
Em Paulínia, o PPS tem Tuta Bosco como candidato a prefeito.

 

Grande em Paulínia, gigante no país

 Importante em Paulínia: o PMDB é o partido que mais representa o Brasil, já que o presidente em exercício, Michel Temer, é o principal nome da legenda. Sua esposa, Marcela Temer, é paulinense
Importante em Paulínia: o PMDB é o partido que mais representa o Brasil, já que o presidente em exercício, Michel Temer, é o principal nome da legenda. Sua esposa, Marcela Temer, é paulinense

Hoje, o PMDB é o partido que mais representa o Brasil, já que o presidente em exercício, Michel Temer, é o principal nome da legenda. Sua esposa, Marcela Temer, é paulinense e morou na cidade até seus 20 anos. Foi em um evento político que a atual primeira-dama conheceu Temer: eles foram apresentados por Edson Moura e desde então, a amizade entre Moura e Temer ficou evidenciada.
O partido também já foi considerado o maior em número de filiados em Paulínia e comandou a Prefeitura de Paulínia por quatro mandatos, sendo três de Edson Moura e mais um de seu filho, Edson Moura Junior, que ocupou o cargo durante o período de julho de 2013 a fevereiro de 2015, até ser cassado.

 

 

 Confira na íntegra o desabafo de Edgard de Moraes no Facebook:

22

 


 

Artigo anteriorPavan e Angela registram candidatura
Próximo artigoLuan Santana grava DVD em Paulínia