Início Região Em meio à epidemia, Campinas inicia combate à dengue com caminhões

Em meio à epidemia, Campinas inicia combate à dengue com caminhões

Nesta quarta-feira foi confirmada a primeira morte em decorrência da doença.
Nesta quarta-feira foi confirmada a primeira morte em decorrência da doença.

Última atualização do números de casos, realizado na quarta-feira (9), contabilizou 2.793 casos confirmados da doença

Em meio à epidemia de dengue, a Prefeitura de Campinas iniciou, na noite de quarta-feira (9), a ação de nebulização na região Noroeste, a mais afetada pela doença. Para o trabalho, é utilizado um caminhão da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), que espalha a substância nos bairros Santa Rosa e Itajaí.
Segundo o secretário de Saúde, Cármino de Souza, a nebulização veicular chega a 200 quarteirões por dia de trabalho, enquanto a costal (quando o agente utiliza o equipamento nas costas) abrange 80 casas por dia.
A cidade passa por uma epidemia de dengue e, segundo o mais recente balanço da Prefeitura, divulgado na semana passada, são 2.793 casos confirmados na cidade. Desses, 1.851 pacientes são da região Noroeste. Nesta quarta-feira foi confirmada a primeira morte em decorrência da doença.
No decorrer da semana, agentes de saúde vão realizar trabalho de orientação à população em todas as regiões da cidade, com a visita e remoção de criadouros em imóveis. Segundo a Prefeitura, a Secretaria de Serviços Públicos também intensificou o trabalho de limpeza em terrenos e da operação do “cata-treco”, com disponibilização de ecopontos.

Orientações para nebulização

A Prefeitura orienta os moradores dos bairros onde o caminhão será utilizado a abrir portas e janelas das casas, e deixar as luzes acesas. É preciso mexer nas cortinas e móveis para fazer o mosquito sair. Crianças, grávidas, idosos e pacientes com asma e bronquite devem ficam em um cômodo fechado no momento do trabalho. Animais tem de ser colocados dentro da residência e é necessário cobrir a gaiola de pássaros.
Apesar disso, o secretário de Saúde disse que a toxicidade do produto utilizado é “baixíssima”. Segundo a Prefeitura, a população será orientada com carro de som, folders e folhetos sobre o trabalho que será realizado.

Recomendações
Aos primeiros sintomas da dengue (febre, dor de cabeça, dores nas articulações e no fundo dos olhos), a recomendação do Ministério da Saúde é procurar o serviço de saúde mais próximo e não se automedicar. Quem usa remédio por conta própria pode mascarar sintomas e, com isso, dificultar o diagnóstico.
Para diminuir a proliferação do mosquito, é importante que a população verifique o adequado armazenamento de água, o acondicionamento do lixo e a eliminação de todos os recipientes sem uso que possam acumular água e virar criadouros do mosquito. Além disso, é essencial cobrar o mesmo cuidado do gestor local com os ambientes públicos, como o recolhimento regular de lixo nas vias, a limpeza de terrenos baldios, praças, cemitérios e borracharias. (G1)