Início Policial Haitiano que trabalhava como motorista de aplicativo é encontrado morto em Paulínia

Haitiano que trabalhava como motorista de aplicativo é encontrado morto em Paulínia

Corpo do Rapaz estava a 500 metros do veículo, em um canavial na divisa com a cidade de Sumaré

Um motorista de transporte por aplicativo de 34 anos foi encontrado morto em um canavial em Paulínia, na noite do último domingo (10), na estrada que liga o município a Sumaré. O homem, que é haitiano, estava do lado de fora do veículo com três ferimentos na cabeça. Uma pedra estava dentro do automóvel e, segundo a Polícia Civil, foi utilizada no crime.
A investigação vai apurar se o homem estava fazendo corridas e se os suspeitos utilizaram o serviço antes de matar a vítima. A carteira e o celular do motorista não foram localizados. O caso foi registrado como homicídio, mas a qualificação ainda pode mudar para latrocínio, considerando o desaparecimento dos pertences.
O local não tem câmeras de segurança e não havia testemunhas no momento do crime. O carro estava com o vidro quebrado e o corpo do homem foi encontrado a 500 metros do veículo. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Paulínia.
Segundo relato do irmão da vítima à Polícia Civil, Rony Paulime atuava como motorista de aplicativo na região de Campinas e, no período da noite, também trabalhava como chapeiro.
Em nota, a Uber informou “lamentar profundamente que cidadãos sejam vítimas da violência urbana que permeia nossa sociedade”, mas destaca que “ao que tudo indica pelas informações apresentadas, o caso não teria ocorrido durante viagem com o aplicativo da Uber, já que a conta do motorista estava desativada”.
Já a 99 disse lamentar “profundamente a violência sofrida pelo motorista”, mas ressalta que “a ocorrência não se deu na utilização da plataforma”.
Ele tinha ido à igreja na manhã de domingo e não tinha desafetos conhecidos, de acordo com o familiar.

Artigo anteriorApós briga de trânsito, homem derruba motoboy na Avenida Paulista
Próximo artigoPaulínia tem menor ocupação de leitos Covid desde o início da Pandemia