Início Paulínia Inaugurada na administração passada, creche já apresenta problemas estruturais

Inaugurada na administração passada, creche já apresenta problemas estruturais

Inaugurada na administração passada, creche já apresenta problemas estruturais
Inaugurada na administração passada, creche já apresenta problemas estruturais

“Felipe Macedo de Barros” foi aberta em véspera do período eleitoral durante o governo Pavan Jr; unidade tinha problemas de rachaduras, fiação elétrica, entre outros

Instalada em um galpão há menos de dois anos, a creche municipal Felipe Macedo Barros, localizada no bairro Santa Terezinha, já apresenta problemas, tanto que por motivo de segurança, alunos e funcionários do local foram transferidos para outras unidades. Além da invasão de cobras noticiadas pela mídia, o prédio apresenta condições inadequadas, o que também influenciou na decisão de encerrar as atividades no local.

Inaugurada em junho de 2012 pelo ex-prefeito José Pavan Junior (PSB), a escola infantil fica ao lado de uma reserva de proteção ambiental, o que facilita incidentes com insetos e animais peçonhentos. Outro grave problema é o mau planejamento, já que a cozinha foi instalada próxima a área de serviço, sendo separada apenas por vidros e porta, além da falta de saídas de emergências, problemas estruturais como rachaduras, problemas na fiação elétrica, piso e forro se soltando e grades instaladas nas janelas, impedindo mesmas de serem abertas para circulação de ar, entre outros
De acordo com a secretária de Educação Rita Lanza, a unidade foi inaugurada mesmo apresentando problemas, tanto que a vistoria foi realizada somente em outubro de 2012, meses depois de sua inauguração, onde foram observadas várias inadequações, como número de armários insuficientes para organização do local, ausência de lixeiras com tampas e pedal, ausência de suporte para guarda de colchonetes, presença de dois tanques de areia para recreação sem a utilização de medidas para minimizar riscos à Saúde, higienização de brinquedos em local inadequado, ausência de comprovação de limpeza e higienização da caixa d’água, box de chuveiro sem separação no banheiro do maternal, ventilação insuficiente na secretaria, entre outros, segundo o laudo da Vigilância Sanitária.
Com o remanejamento dos 109 alunos, que possuem faixa etária entre 3 meses e 4 anos, a Prefeitura de Paulínia fará um estudo para avaliar como o espaço será utilizado. Do total de crianças matriculadas na “Felipe Macedo”, 17 foram para Carolina Rother, 15 para a Rosa Vassalo Secomandi, 18 na Benedito Dias de Carvalho Jr, 5 para a Benedito Dias de Carvalho Jr. II, 2 para Francisca R. Lozano de Araújo, 2 para José Paulino Nogueira I, 4 para Júlio Perini III, 4 para Maria Aparecida Mattos Bueno, 2 para a Padre Antônio e 4 para a creche Beatriz, além das Emeis Rachel Balista Amatte e Rosa Vassalo Secomandi, que receberam 18 crianças cada.
Ainda segundo a secretária de Educação, a transferência desses alunos também foi permitida pelo fato da existência das vagas devido ao início do ano letivo.  Paulínia possui 23 creches municipais, além de 11 unidades conveniadas.

Problema antigo
O problema no local não vem de agora. Em março do ano passado, as crianças da Felipe Macedo de Barros foram dispensadas das aulas por conta dos estragos causados pela chuva. O temporal destelhou parte do teto, causou infiltração e o forro da unidade cedeu. Algumas salas foram invadidas pela água da chuva.
Na mesma época, os pais das crianças organizaram uma lista com 85 pedidos de transferência para outra unidade por causa dos problemas de infraestrutura, sujeira e falta de funcionários. Eles reclamavam da invasão de animais e também de insetos.