Início Política Justiça Eleitoral inocenta secretário de obras, Marcelo de Mello, e Du Cazellato...

Justiça Eleitoral inocenta secretário de obras, Marcelo de Mello, e Du Cazellato de fakenews em jornal da oposição

O Zatum, do jornalista Raoni Zambi, manipulou informações para manchar a imagem do candidato à reeleição, para dar vantagem ao concorrente

A juíza eleitoral de Paulínia, Marta Brandão Pistelli, assinou decisão nesta sexta-feira (13) em que determina que o jornal Zatum pare de veicular notícias falsas sobre o prefeito Du Cazellato, candidato à reeleição.
Em sua decisão ela conta que o jornal, de responsabilidade do jornalista Raoni Zambi Beltrami, veiculou notícia em edição impressa e digital contendo inverdades sobre o candidato Du Cazellato, de forma a confundir o eleitor e afrontar a isonomia do pleito. Ela decidiu pelo direito de resposta do prefeito para restabelecimento da verdade dos fatos e ainda proibiu com urgência novas publicações e que parasse imediatamente a divulgação das notícias.
Ela esclarece que a análise da matéria veiculada foi suficiente para concluir que houve manipulação da informação de forma a manchar a imagem do candidato, em benefício do concorrente.
O Jornal Zatum veiculou mentiras quando afirmou, em matéria de capa, que o Secretário Municipal de Obras, Marcelo Mello teria sido preso com dinheiro e não explicou a origem, ficando em silencio durante o depoimento. Nada disso corresponde à verdade. Mello esclareceu a procedência do valor e, segundo o boletim de ocorrência, não há nada que pareça suspeito.
Outra notícia tendenciosa tenta prejudicar a imagem do prefeito mais uma vez, quando o jornalista manipulou uma informação tentando maquiar os fatos. Como sensacionalismo, ele estampou que Polícia Federal teria notificado o prefeito por fraude em licitação na pandemia. Não houve intimação para prestar depoimento, sendo solicitada apenas a entrega de documentação.


A juíza Marta finaliza dizendo que o jornalista divulgou fatos inverídicos, que constituem propaganda negativa, irregular, portanto houve a necessidade de coibir a divulgação.
“Como se sabe, o combate à desinformação e à disseminação de fakenews é dever de todos, tanto o Tribunal Superior Eleitoral implementou o “Programa de Enfrentamento à Desinformação”, com foco nas eleições de 2020, visando à instituição e ao aperfeiçoamento de medidas concretas voltadas a desestimular práticas que envolvam “o fenômeno da desinformação no processo eleitoral, na salvaguarda da democracia”, conta trecho da decisão.
Marcelo de Mello recebeu mais de 1,5 mil mensagens de apoio em suas redes sociais e aplicativos de conversas. Todas se solidarizando com o ocorrido, sabidamente mentiroso e reiterando a confiança no homem, conhecido pelo caráter e vontade de trabalhar pelo bem de Paulínia.