Início Paulínia Legislativo define para onde vão R$ 2,5 milhões na área da saúde

Legislativo define para onde vão R$ 2,5 milhões na área da saúde

Paulínia deve contar neste ano com um micro-ônibus de pronto atendimento para ampliar ações na área de saúde nos bairros, um consultório odontológico móvel para ir até o cidadão, mais equipamentos em unidades (UBSs e Hospital Municipal) e ainda botões antipânico destinados a idosos que moram sozinhos, se sofrerem mal súbito.

Essas previsões para o setor foram fixadas pela Câmara Municipal no Orçamento de 2019, com as chamadas emendas impositivas. Por lei, os membros do Legislativo têm o poder de definir para onde vai 0,5% da receita corrente líquida do município. Assim, a Prefeitura é obrigada a separar aproximadamente R$ 8,25 milhões, deixando a cada vereador o papel de apontar o destino de R$ 550 mil em diferentes demandas da população.

Na saúde, esse dinheiro soma R$ 2,58 milhões, cerca de 30% de todo o valor das emendas impositivas. O maior volume vai para serviços, e a maioria delas envolve a compra de equipamentos e móveis para diferentes unidades da cidade. O vereador Marquinho Fiorella (PSB), por exemplo, definiu que parte das verbas será repassada para comprar aparelhos de pressão arterial digital para algumas UBSs e uma câmara de conservação de vacinas.

Tiguila Paes (PPS) destinou verba para um micro-ônibus equipado para atuar como Pronto Atendimento Móvel. Segundo ele, a ideia é garantir o acesso da Saúde da Família a todos os bairros, facilitar atendimentos e desenvolver ações educativas. Outro serviço sobre rodas foi planejado por Fábio Valadão (PRTB), com apoio da vereadora Fabia Ramalho (PMN): um Consultório Odontológico Móvel, para levar prevenção, restaurações e até algumas cirurgias até a casa de quem precisa.

Também há uma proposta para iniciar o atendimento odontológico de estudantes de escolas municipais e ainda especializar a odontopedriatria no Centro Odontológico Central, assinada em conjunto pelos vereadores Loira (DC), Zé Coco (PV), João Mota (DC), Marcelo D2 (PROS), Xandynho Ferrari (PSD) e Manoel Filhos da Fruta (PCdoB).

Edilsinho Rodrigues (PSDB) definiu repasse para a compra de botões antipânico, um dispositivo para idosos que vivem sozinhos conseguirem comunicar rapidamente se passarem mal. Danilo Barros (PR) propôs a compra de materiais para o Hospital Municipal e a criação de brinquedoteca no espaço da Saúde Mental de Paulínia, enquanto Flávio Xavier (DC) quer que a Prefeitura instale ventiladores padronizados em todas as unidades de saúde.

A preocupação com o calor fez o vereador Marcelo Souza (PRTB) pedir unidades de ar condicionado para a UBS Jardim Amélia, além de uma maca ginecológica e um portão eletrônico. As emendas incluem ainda reforma nos banheiros da UBS Centro e aquisição de equipamentos para terapia e fisioterapia, entre outras determinações. E José Soares (PRB) solicitou mobília e equipamentos para o Hospital Municipal.

Além das emendas impositivas, a Lei Orçamentária definiu que a área da saúde ficará com R$ 385,4 milhões em 2019.