Início Empresarial Plástico Verde da Braskem chega à Escandinávia em embalagem de suco orgânico

Plástico Verde da Braskem chega à Escandinávia em embalagem de suco orgânico

O suco da Eckes-Granini será engarrafado em embalagem feita de polietileno produzido a partir do etanol da cana-de-açúcar do Brasil, uma matéria-prima renovável
O suco da Eckes-Granini será engarrafado em embalagem feita de polietileno produzido a partir do etanol da cana-de-açúcar do Brasil, uma matéria-prima renovável

Sustentabilidade e Inovação. É com essa combinação que a Braskem, a maior produtora de resina termoplástica das Américas, expande suas parcerias com empresas que incorporam o Plástico Verde em seus produtos. Desta vez, a expansão ocorreu no mercado europeu com o grupo alemão Eckes-Granini, produtor de sucos orgânicos. O suco será engarrafado em embalagem feita de polietileno produzido a partir do etanol da cana-de-açúcar do Brasil, uma matéria-prima renovável.

Para ajudar os consumidores a reconhecerem o produto, a Braskem criou o selo “I’m greenTM”, que garante a origem renovável da embalagem. Sob as marcas Brämhults e Valsølille, os sucos de maçã e cenoura orgânicos serão distribuídos pelos principais varejistas da Escandinávia e em aeroportos selecionados de países europeus, como Suécia, Dinamarca e Noruega.
“Estamos felizes pelo fato de a Brämhults ter dado um passo adiante com a adoção do I’m green™ e de todo o conceito de renovável. A opção, pioneira em nosso mercado, abriu novas áreas nas quais os materiais biodegradáveis têm menos alcance”, diz Bjarne Högström, representante de marketing e vendas de PE Verde da FKuR Polymers, na Escandinávia.
“A Brämhults é uma empresa inovadora e pioneira no mercado de sucos, e nós sempre valorizamos certos atributos, como alta qualidade, autenticidade e produtos naturais. Daí o desafio de encontrar a embalagem ideal para os nossos produtos. Há anos temos o projeto de utilizar garrafas de base biológica, e com o I’m green™ conseguimos atingir o nosso objetivo”, afirmou Stina Haglund, gerente de Marcas da Brämhults Nordic.
De acordo com os resultados da análise de ciclo de vida (realizada de acordo com o ISO 14040, utilizando dados coletados de fornecedores que aderiram ao código de conduta da Braskem), ao longo do seu ciclo o PE Verde fixa o dióxido de carbono proveniente da atmosfera, ao contrário da versão tradicional, ajudando a reduzir os níveis de gases de efeito estufa emitidos pela cadeia produtiva. O produto possui as mesmas características que o polietileno tradicional e pode ser reciclado na cadeia de reciclagem existente. Atualmente, mais de 80 marcas, desde embalagem de alimentos até produtos de beleza, passando por ferramentas de jardinagem e componentes automotivos, são feitas de resina renovável.
“A Braskem e seus distribuidores parceiros na Europa continuam engajados em fornecer soluções de qualidade com vantagens ambientais. O PE Verde garante a sustentabilidade em toda a cadeia do plástico, do campo até o produto final, por ser de uma fonte renovável que garante a captura de carbono”, afirmou Gustavo Sergi, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

Artigo anteriorQuadras esportivas e de tênis são reformadas em Paulínia
Próximo artigo“Dia D” da multivacinação atende 1.300 em Paulínia