Início Colunas Quatro Rodas com DG por Diego Gomes

Quatro Rodas com DG por Diego Gomes

Qual o melhor para radiador: água ou aditivo?

O uso de água ou aditivo no radiador sempre desperta dúvidas, pois muitos não sabem o que utilizar ou qual produto escolher, o que pode prejudicar o bom funcionamento do veículo e causar muitos danos e gastos.

Por isso, é fundamental entender como ambos os líquidos para radiador atuam no sistema de arrefecimento para que tudo funcione perfeitamente. Lembrando que: o radiador é um dispositivo que fica na parte dianteira do carro, conectado ao motor por mangueiras, responsável por fazer a troca de calor entre o ar atmosférico e a substância líquida. Quanto maior for, mais rápida é a troca de calor e o resfriamento do motor.

As principais funções do aditivo para radiador são:

*Elevar o ponto de ebulição da água e reduzir a temperatura de congelamento;

*Lubrificar a bomba d’água do automóvel;

*Prevenir a ferrugem;

*Prevenir a corrosão e o acúmulo de impurezas.

Dessa forma, é necessário escolher um fluido de qualidade. Afinal, mais do que correr o risco do motor esquentar, utilizar um aditivo ruim pode danificar também a bomba d’água, a válvula termostática e o cabeçote, que pode ficar completamente corroído.

Água

A água para radiador ajuda a refrescar o motor do carro através da troca de calor, percorrendo o seguinte caminho: sistema de mangueiras, bomba de água, bloco do motor e radiador.

Ao chegar no dispositivo, a água retira o calor para que ele volte ao início do ciclo e mantenha o motor funcionando da maneira adequada.

No entanto, é importante reforçar que a água adequada para radiador não é a minerada que sai da torneira, que pode provocar uma série de problemas, tais como:

*Corrosão dos componentes metálicos do motor;

*Travamento da bomba d’água;

*Diminuição da vida útil dos selos dos motores;

*Tendência a superaquecer com maior facilidade e em temperaturas mais baixas.

O ideal é usar água desmineralizada ou tratada e seguir a diluição recomendada pelo fabricante do veículo, que na maioria dos casos é de 40% de aditivo para 60% de água.

Além disso, é importante ficar atento ao nível de água no reservatório. Alguns modelos mais modernos mantêm o fluido estável, mas os demais devem ter o nível completado sempre que necessário.

Diego Gomes (DG) é mecânico de formação e proprietário da MD Mecânica Automotiva.
Instagram: @diego.gomes.dg.10 – Facebook: Diego Gomes