Início Destaques Panificadores pedem ao Inmetro regras específicas para próprios produtos

Panificadores pedem ao Inmetro regras específicas para próprios produtos

Cartilha com orientações, agendamento de workshops às panificadoras do
Estado e pedido de mudanças nas regras do Inmetro, como estratégias para
reduzir as irregularidades no setor. Esse foi o resultado da reunião
realizada, nesta terça-feira (8/6), entre representantes de padarias de São
Paulo e o Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP),
autarquia vinculada à Secretaria da Justiça.
Estiveram presentes dez entidades ligadas às panificadoras, incluindo
Grande São Paulo e interior. Os empresários pediram mudanças na
regulamentação do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e
Qualidade Industrial (Inmetro), para conseguirem maior tolerância em
relação a alguns produtos produzidos nas padarias como bolos, tortas e
alguns tipos de pães, que, segundo eles, desidratam e perdem peso depois de
embalados e etiquetados.
O Ipem-SP, por sua vez, vai elaborar uma cartilha orientativa, com a
regulamentação do Inmetro a produtos pré-medidos (pesados e medidos sem a
presença do consumidor) e balanças, além de oferecer workshops sobre o
tema.
A reunião foi agendada pelo superintendente do Ipem-SP, Fabiano Marques dePaula, depois de saber o resultado da “Operação Padoca Legal”, realizada em 17 e 18 de maio, para fiscalizar itens pré-medidos (pesados e medidos sem a presença do consumidor), produzidos por padarias.
Na operação, foram visitadas 202 padarias e 121 (60%) foram autuadas por
irregularidades, como menor quantidade do produto em relação ao peso
indicado na embalagem, falta da indicação do peso na embalagem e falta de
cartaz ao lado da balança com o preço do pão francês por quilo.
“Sempre repito que não somos uma indústria de multas. Estamos aqui para
proteger o consumidor e colaborar com os diversos setores para que os
produtos cheguem com qualidade e sem irregularidades ao mercado”, explicaMarques de Paula.
Presente no encontro, presidente da Associação da Indústria de Panificação
e Confeitaria do Estado de São Paulo (Aipesp), Cássio Luciano Borges
Barbosa, afirma que não imaginava que o índice de erros encontrados pelo
Ipem-SP nas padarias tivesse sido tão alto e acredita que a parceria com o
instituto poderá ajudar a reverter o quadro.
Para Barbosa, antes de encaminhar a proposta ao Inmetro, as entidades
pedirão um estudo ao Instituto do Desenvolvimento de Panificação e
Confeitaria para medir o nível de perda de peso dos produtos. “Para pedir
mudanças nas regras e maior margem de tolerância na fiscalização, é preciso
saber quais são esses produtos e conhecer o comportamento deles. Se perdem peso, quanto e como perdem? Por causa das diferentes temperaturas, em que regiões perdem mais ou menos peso?”, questiona o empresário. A partir da semana que vem, o grupo volta a se reunir para definir itens da
cartilha, com a expectativa de que seja distribuída na Fipan 2010 (Feira
Internacional de Panificação, Confeitaria e do Varejo Independente de
Alimentos), em julho, além de preparar o calendário de workshops em todo o
Estado.
Segundo Marques de Paula, o Ipem-SP vai continuar monitorando as padarias. “Se essas medidas não forem suficientes em médio prazo para reduzir os erros, vamos pedir para que os empresários assinem um compromisso de ajustamento de conduta”, conclui o superintendente.