Início Saúde Surto de sarampo avança em cidades da Região Metropolitana de Campinas

Surto de sarampo avança em cidades da Região Metropolitana de Campinas

Já são oito casos da doença em municípios da região, incluindo Paulínia

Secretaria de Saúde de Hortolândia confirmou, na última terça-feira (23), um caso positivo que estava sob suspeita: uma menina menor de idade, que passa bem, segundo informou a assessoria de imprensa da prefeitura da cidade. É o primeiro caso registrado em dez anos.
A prefeitura de Campinas também confirmou um novo surto da doença, após mais de vintes anos sem registros. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o surto se concentra no Centro Municipal de Educação Infantil Ministro Gustavo Capanema, no DIC 6. Um outro caso ainda está em investigação na mesma creche. As vítimas são crianças com idades entre sete meses e 1 ano e 5 meses. Uma delas, uma menina de apenas nove meses, segue internada por conta da doença.
Segundo informações do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) de Campinas, a situação já era prevista, por conta do surto de sarampo na Capital e dos deslocamentos de pessoas entre São Paulo e o interior.
Indaiatuba também recebeu laudo do Instituto Adolfo Lutz, confirmando dois casos na última sexta-feira (19). O primeiro, de um menino de 10 anos residente no bairro Jardim Paulista II, com duas doses da vacina tríplice viral e histórico de viagem recente para São Paulo. O segundo, uma menina de 1 ano que não frequenta creche e não tem histórico de viagem, residente no bairro Nova Veneza. Ela apresentou os sintomas em maio e foi atendida em uma unidade de saúde privada em Salto. A notificação chegou para a prefeitura na segunda quinzena de junho, por meio de laboratório particular. E conforme a Vigilância Epidemiológica de Indaiatuba, há mais um caso em investigação. Vinhedo tem duas notificações, sem confirmação ainda, e Paulínia também tem um caso confirmado. São 484 casos de sarampo no Estado de São Paulo, até o momento, com 75% deles se concentrando na Capital.
O sarampo é uma doença infecciosa grave, de natureza viral, transmitida pela fala, tosse e espirro. É extremamente contagiosa, mas pode ser prevenida pela aplicação da vacina. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade da doença, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. O vírus fica incubado por um período de 7 a 18 dias e pode resultar em quadros graves como pneumonia, diarreia, encefalite e até mesmo levar à morte.

Artigo anteriorRota das Bandeiras repassa mais de R$ 20 milhões de ISS aos municípios do Corredor Dom Pedro, no primeiro semestre de 2019
Próximo artigoReajuste dos pedágios altera a tarifa de linhas intermunicipais