Início Cultura 6º Festival de Cinema tem participação de famosos nacionais e internacionais

6º Festival de Cinema tem participação de famosos nacionais e internacionais

"Temos de ser advogados deste festival.Advogados da arte de contar histórias.Precisamos de artistas para nos salvar das máquinas",afirmou o astro internacional Danny Glover sobre os dois anos de interrupção  do Festival
“Temos de ser advogados deste festival.Advogados da arte de contar histórias.Precisamos de artistas para nos salvar das máquinas”,afirmou o astro internacional Danny Glover sobre os dois anos de interrupção do Festival6º

Pela primeira vez com mostra Internacional, 6º Paulínia Film Festival recebeu no tapete vermelho os ilustres Danny Glover, Michael Madsen e Jacqueline Bisset

A abertura da 6ª edição do Festival de Cinema de Paulínia, que passou a ser chamado de Paulínia Film Festival por conta da mostra internacional de longas, lotou o teatro na noite da última terça-feira (22) e contou com presenças ilustres e “hollywoodianas”, como Danny Glover (“Máquina Mortífera”), Michael Madsen (“Kill Bill”), Jacqueline Bisset (“007: Cassino Royale”) e ícones da teledramaturgia brasileira, como Bruna Lombardi, Carlos Alberto Ricchielli e Paulo Betti. Pelo tapete vermelho passaram ainda Martinho da Vila, José de Abreu, Cao Hamburger, Bruno Barreto, entre outros atores e cineastas.

Com Vera Holtz e Marcos Caruso como mestres de cerimônia, a solenidade de abertura do festival começou por volta das 21h, com o teatro lotado de convidados que assistiram às homenagens que antecederam a exibição do longa “Não Pare na Pista: a Melhor História de Paulo Coelho”. O aniversariante da noite Danny Glover e o produtor Frederico Lapenda receberam a Medalha Regina Moura, dedicada a artistas da área de cinema e entretenimento com engajamento em ações sociais e disseram estar encantados com a magnitude do Polo Cinematográfico de Paulínia.
Ao chegar para a abertura do festival, a atriz britânica Jacqueline Bisset mostrou-se surpresa com o teatro de Paulínia, que chamou de “incrível”. Ela participa do filme “Bem-vindo a Nova York”, de Abel Ferrara, que será exibido na mostra internacional, no domingo. No elenco está ainda Gérard Depardieu.

O Festival
Segundo o diretor do festival, Ivan Melo, são esperados por dia 120 atores, diretores, e outros profissionais que trabalham nos filmes. Na organização do evento, são 300 pessoas diretamente envolvidas. A programação do festival segue até domingo (27), sempre com entrada gratuita no Theatro Municipal Paulo Gracindo, que tem capacidade para 1,3 mil espectadores.

Interrompido
Por embates políticos, há dois anos o Festival de Cinema de Paulínia não contava com as mostras competitivas, que aquecem o mercado do audiovisual. O tema foi relembrado por artistas e cineastas que acompanharam a cerimônia de abertura. “A sensação de voltar para o festival é de esperança. E agora a expectativa é que o polo cinematográfico também seja retomado”, afirmou o ator Paulo Betti.
O colunista do jornal “O Globo” Artur Xexéo, um dos integrantes do júri do Paulínia Film Festival deste ano, também lembrou o período em que o cinema ficou apagado na cidade. “Paulínia é um festival que chegou com força e foi abruptamente interrompido. Tomara que volte a ter a força que tinha há três anos”, falou.
A estrela da noite, Danny Glover falou sobre o assunto: “Temos de ser advogados deste festival. Advogados da arte de contar histórias. Precisamos de artistas para no salvar das máquinas”, afirmou.

Os ganhadores da Medalha Regina Moura

Danny Glover e Michael Madsen foram os homenageados na noite de abertura do 6º Paulínia Film Festival
Danny Glover e Michael Madsen foram os homenageados na noite de abertura do 6º Paulínia Film Festival

A Medalha Regina Moura do Paulínia Film Festival, criada para homenagear pessoas da área do cinema e entretenimento com militância significativa em ações sociais, será entregue para oito personalidades da área audiovisual durante esta sexta edição do evento.
Em Paulínia, Regina Moura marcou época por causa das ações sociais que realizou. Ela criou projetos nas áreas da defesa dos direitos da criança e adolescente, idosos, famílias carentes e de ajuda a jovens em situação de grande vulnerabilidade social. Ela faleceu em 2013, enquanto ocupava o cargo de Secretária de Promoção e Desenvolvimento Social.

Homenageados
Danny Glover
– O ator e ativista social americano, famoso pela série “Máquina Mortífera” e “A Cor Púrpura”, também é embaixador da UNICEF e do Programa das Nações Unidas para Desenvolvimento.
Frederico Lapenda – Produtor de cinema, fundou a produtora Paradigm Pictures. Foi um dos responsáveis pela globalização das artes marciais mistas.
João Vitti – Ator de TV e teatro conhecido pelas novelas “Despedida de Solteiro”, “Alta Estação”, “Essas Mulheres” e “Éramos Seis”. João atua no longa-metragem “Caso Schell”, projeto rodado em Paulínia, atualmente em finalização.
Paulo Bordhin – Artista plástico que atua em projetos de inclusão através da arte. Suas exposições incluem “Entreato”, em itinerância pelo interior de São Paulo, e “Alumiares”, no CCJ (Centro Cultural da Juventude).
Billy Saga – Rapper e ativista cultural, Billy é militante no Movimento SuperAção. Seus projetos giram em torno da inclusão de deficientes.
Silvio Bacarelli – Maestro da Orquestra de Heliópolis e fundador do Instituto Baccarelli, associação civil sem fins lucrativos que ensina música às populações socialmente vulneráveis.
Thiago Mascherano – Especialista em arte e inclusão. Ajuda no desenvolvimento de projetos inclusivos realizados em prol deficientes.
Cacá Diegues – Premiado cineasta brasileiro e um dos fundadores do Cinema Novo. Seus títulos mais famosos incluem “Joanna Francesa”, “Xica da Silva”, “Chuvas de Verão”, “Bye Bye Brasil”, “Tieta do Agreste” e “Orfeu”. Também concebeu o “5x Favela – Agora por Nós Mesmos”. Atualmente, lança sua autobiografia, “Vida de Cinema – Antes, Durante e Depois do Cinema Novo”.

Deborah Secco é aplaudida em sessão lotada

Deborah secco e o ator João Pedro Zapper
Deborah secco e o ator João Pedro Zapper

Deborah Secco foi a grande estrela da terceira noite do 6º Paulínia Film Festival. Ela é a protagonista de “Boa Sorte”, de Carolina Jabor, que conta a história de Judite, uma moça HIV positivo e dependente de drogas que conhece numa clínica um rapaz de 17 anos, João (João Pedro Zappa), com quem começa um romance. O elenco também conta com Fernanda Montenegro, Cássia Kiss, Enrique Diaz e Mariana Lima.
Deborah foi muito aplaudida ao subir ao palco para apresentar o filme com o resto do elenco e a equipe. “Quero agradecer a presença de todo mundo. É maravilhoso ter todo esse público para ver o nosso filme. Este é sem dúvida o trabalho mais importante da minha vida. É o trabalho para o qual eu mais me dediquei, dei minha saúde, minha essência. É o trabalho de um ano. A Judite é meu primeiro passo rumo à artista que eu quero ser para sempre. Espero que vocês gostem desse primeiro passo”, disse a atriz, sob fortes aplausos, no palco do Theatro Municipal Paulo Gracindo.
A diretora Carolina Jabor também declarou sua alegria em estrear o filme em Paulínia. “É uma honra estar aqui para mostrar pela primeira vez este filme. Este é meu primeiro filme de ficção, e vocês são meu primeiro público”. O diretor Guel Arraes, marido de Carolina, também estava presente na plateia.
A cerimônia foi apresentada por Rubens Ewald Filho, crítico e curador do festival, e pela atriz Nathália Lage, da série “Tapas & Beijos”. Ao final, Rubens saudou a presença de Arnaldo Jabor, pai de Carolina, “um grande jornalista, grande cineasta e sem dúvida o pai mais orgulhoso do mundo esta noite”.

Investindo em ações culturais, Braskem é uma das patrocinadoras do 6º Paulínia Film Festival

Com o objetivo de incentivar e apoiar projetos culturais, a Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, em parceria com a prefeitura de Paulínia é uma das patrocinadoras do 6º Paulínia Film Festival – projeto de grande dimensão que ocorre até 27 de julho. Pela primeira vez, o festival apresenta mostra com títulos internacionais que integra a programação do evento. Além dessa, o público tem acesso a mostras de filmes brasileiros, debates e workshops.
Na cerimônia de abertura, dia 22, no Theatro Municipal Paulo Gracindo, foi exibida a pré-estreia mundial do longa Não Pare na Pista: A melhor história de Paulo Coelho, de Daniel Augusto. O filme contou a vida do escritor brasileiro desde seus traumas com tratamentos de choques elétricos e torturas durante a Ditadura Militar, passando pela parceria e amizade com Raul Seixas e o grande sucesso como escritor.
Para o Gerente de Relações Institucionais SP e RJ, Flavio Chantre, “a Braskem sabe a importância em incentivar projetos culturais e sociais. Por isso, é uma das principais patrocinadoras do VI Paulínia Film Festival, evento que promove o contato do público com a cultura e valoriza as produções brasileiras e internacionais de cinema”, conclui.