Início Colunas Conheça os principais sintomas que indicam junta de cabeçote queimada

Conheça os principais sintomas que indicam junta de cabeçote queimada

A junta de cabeçote é o revestimento que une o bloco do motor ao próprio cabeçote. Essa peça veda completamente as duas partes, evitando que líquidos e combustão escapem. Em outras palavras, a junta do cabeçote é responsável por manter o seu motor saudável, assegurando que a água ou o óleo não vazem e continuem lubrificando a principal peça do seu veículo. Se a junta estiver queimada você pode ter grandes problemas em um curto período.

 

Mas muita gente se pergunta: como saber se a junta do cabeçote está queimada? É possível andar com ela queimada? É preciso fazer retífica com a junta do cabeçote queimada? Primeiro, é importante saber como essa peça acaba queimando e quais os sintomas que indicam o defeito.

Causa e sinais

A junta queima quando o motor sofre um superaquecimento, provocado por diferentes motivos. O defeito na peça pode apresentar alguns sintomas como:

– Indicação de alta temperatura no painel;

– Fumaça excessiva nos canos de escape;

– Redução rápida da água do radiador;

– Velas de ignição úmidas;

– Falhas no motor.

Como saber se a junta do cabeçote queimou?

De fato, a olho nu, não é tão simples estabelecer a real situação da junta do cabeçote. No entanto, há testes que facilitam o trabalho e trazem um resultado mais seguro. Utilizando o aparelho chamado “Testador de vazamento de compressão” você acaba de vez com a dúvida sobre como saber se a junta do cabeçote está queimada.

Aplicando o ar comprimido, a ferramenta é capaz de indicar se há escapamentos no motor, apontando o mau funcionamento da junta. Ao concluir o teste e constatar o defeito, em geral, você tem três opções para o conserto:

– Retífica do bloco do motor;

– Retífica do cabeçote;

– Troca da junta.

Posso rodar com a junta queimada?

Exceto em caso de emergência, uma situação de risco ao seu bem-estar ou dos passageiros, a resposta é NÃO. Com o passar do tempo, o defeito vai se agravando e acaba atingindo diretamente o motor do veículo. Além de empenar o próprio cabeçote, o adiamento do conserto pode causar o travamento do motor.

Diego Gomes (DG) é mecânico de formação e proprietário da MD Mecânica Automotiva.

Instagram: @diego.gomes.dg.10 – Facebook: Diego Gomes

Artigo anteriorDu Cazellato implanta internet gratuita em espaços públicos da cidade
Próximo artigoCriança e adolescente: um tema prioritário nas eleições municipais