Início Esportes Copa América de Bicicross: Renato Rezende e Priscilla Carnaval vencem em Paulínia

Copa América de Bicicross: Renato Rezende e Priscilla Carnaval vencem em Paulínia


“Pode parecer, mas não foi nada fácil. Treinei muito e consegui não errar em nada”, disse Rezende

Paulinense dominou a disputa, garantindo o bi; veja o especial do evento no Esporte Espetacular de domingo (10)

O Brasil voltou ao topo do pódio da Copa América de Bicicross. O atleta olímpico Renato Rezende garantiu seu segundo título do evento ao vencer a oitava edição, realizada na manhã de quarta-feira (6), em Paulínia. O piloto, que venceu todas as baterias desde a oitavas-de-final, cruzou a linha de chegada da prova final com o tempo de 33seg430, para a pista de 400m do Conjunto Poliesportivo Monte Alegre. Foi a segunda vitória de Rezende, que havia ganho em 2010, e a quarta do Brasil.  A segunda colocação foi de Marc Willers, da Nova Zelândia, com o tempo de 33seg825, enquanto André Fassina , também brasileiro, foi o terceiro, 33seg927.
Entre as mulheres, somente com pilotos nacionais, o primeiro lugar foi de Priscilla Carnaval, da cidade de Sorocaba (SP), com o tempo de 40seg911. A segunda colocação ficou com Thaynara Chaves, com 41seg591, enquanto Naiara Silva ficou em terceiro, 42seg493. A bicampeã Bianca Quinalha, vencedora nos dois últimos anos, ficou em oitavo, após problemas na descida. Ao todo, 96 atletas disputaram a edição 2013, que será mostrada num especial neste domingo de Carnaval, no Esporte Espetacular.
Reunindo o melhor do bicicross nacional e destaques de outros cinco países – Argentina, Chile, Colômbia, Equador e Nova Zelândia -, a Copa América de Bicicross 2013 repetiu o bom nível técnico das edições anteriores. E, nesse contexto, Renato Rezende foi o grande nome, obtendo o melhor tempo da classificatória de terça e, nesta quarta, vencendo todas as baterias, ratificando seu bom momento.
“Pode parecer, mas não foi nada fácil. Treinei muito e consegui não errar em nada. Quando isso acontece aqui em casa, é difícil eu perder”, afirmou Renato Rezende. “Como fui vencendo as baterias, pude escolher o posicionamento melhor e isso também ajudou. É sempre bom conquistar títulos em casa”, destacou o piloto, que agora vai se dedicar as etapas da Copa do Mundo e ao Mundial em junho. “Estou focado nisso e essa vitória dará mais motivação, sem dúvida”, finalizou.
Para a campeã Priscilla, de 19 anos, o resultado é a realização de um sonho. “Sempre quis este título e trabalhei para isso. Venho tentando essa conquista há um bom tempo e consegui, finalmente”, declarou a bela atleta, que começou no esporte aos sete anos, seguindo os passos do irmão. “Isso é só o começo e espero muito mais”, completou.
Ao longo da história da competição, que começou sendo disputa em Paulínia, o Brasil venceu em 2006, com Daniel Jorge, em 2007, como Daivlin Baltazar, e em 2010 e 2013, com Renato Rezende. No feminino, que fez sua estreia em 2007, as vitórias foram de Ana Flávia Sgobin (2007), Mayara Perez (2009 e 2010), Bianca Quinalha (2011/2012) e Priscilla Carnaval (2013).