Início Paulínia Dixon será investigado por cometer supostas irregularidades fiscais

Dixon será investigado por cometer supostas irregularidades fiscais

Dixon está sendo acusado de transpor, remanejar ou transferir” verbas públicas acima do permitido pela Lei

Se condenado, prefeito poderá perder o mandato
O prefeito de Paulínia, Dixon Carvalho (PP) será investigado na Câmara por uma Comissão Processante (CP) por ter cometido supostas irregularidades fiscais. A abertura da CP foi aprovada por unanimidade na sessão de terça-feira, 22, e a comissão tem até 90 dias para apresentar o relatório final. Se condenado, Dixon poderá perder o cargo.
Os vereadores aceitaram denúncia formulada por Luiz Roberto de Lima, que aponta supostos atos de improbidade administrativa por parte do chefe do Executivo, entre eles o descumprimento de lei orçamentária
Dixon está sendo acusado de “transpor, remanejar ou transferir” verbas públicas acima do permitido pela Lei Orçamentária 2017 – até 25% entre secretarias iguais e 12% entre secretarias diferentes.
A comissão será formada pelos vereadores: Kiko Meschiati (PRB), presidente, Tiguila Paes (PPS), relator e Xandynho Ferrari (PSD), secretário.
Os vereadores Fábio Valadão (PRTB), Edilsinho Rodrigues (PSDB), João Pinto Mota (PSDC), Flávio Xavier (PSDC), Danilo Barros (PR) e Zé Coco (PV) optaram por não participar do sorteio para a formação da comissão.
No final do ano passado, os vereadores rejeitaram um pedido de Dixon para alterar o artigo 4º, Inciso III, da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2017, que estabeleceu os limites de 25% e 12% para transposições de recursos. As suspeitas indicam que o prefeito teria ultrapassado esses limites em mais de R$ 8 milhões reais.
Em 2018, foram baixados 22 decretos de transposição de recursos, totalizando R$ 328.834.298,76 (trezentos e vinte oito milhões, oitocentos e trinta e quatro mil, duzentos e noventa e oito reais e setenta e seis centavos).
Em nota, o prefeito afirmou “ter recebido a notícia com tranquilidade e vai se informar sobre a denúncia para tomar devidas providências e “provar a lisura de sua administração desde que assumiu a prefeitura”.
Presidente da CP
O vereador Kiko Meschiatti (PRB) irá presidir a Comissão Processante, que investigará o prefeito Dixon Carvalho. A escolha dos integrantes foi realizada por meio de sorteio.
Desde que assumiu o cargo de vereador, em janeiro de 2017, Kiko tem feito oposição ao governo.
“Sempre me posicionei contrário aos desmandos do prefeito. Minha luta é para que a população tenha um governo que realmente trabalhe para o povo. São denúncias atrás de denúncias e isso só comprova que o Executivo está no caminho errado”, disse.
Em relação à CP, Kiko afirmou que a denúncia será analisada com rigor e transparência. “A comissão realizará um trabalho sério, buscando sempre a justiça”, afirmou.

“A comissão realizará um trabalho sério, buscando sempre a justiça”, afirmou o vereador e presidente da CP, Kiko Meschiatti

“As suspeitas indicam que o prefeito teria ultrapassado os limites permitidos em mais de R$ 8 milhões reais”, diz a denúncia