Início Paulínia PAULÍNIA 54 ANOS

PAULÍNIA 54 ANOS

Paulínia: cidade acolhedora e também uma das 50 mais ricas do país

Paulínia: a cidade que acolhe

Forasteiros ajudaram a erguer o município que é hoje uma potência econômica do país

Paulínia completa no dia 28 de fevereiro 54 anos de emancipação. O município, com pouco mais de 100 mil habitantes e o 2º maior PIB do país, tem como uma de suas principais características o acolhimento aos forasteiros, que aqui compareceram desde os tempos das sesmarias.

A vinda de grandes indústrias, como a Rhodia e a Replan, instaladas nas décadas de 40 e 70, respectivamente, atraiu muita gente de fora em busca de um emprego e uma vida melhor. Nesse contexto, paulinenses de berço e adoção construíram uma cidade peculiar, com ares de desenvolvimento, mas sem deixar para traz as características de uma cidade acolhedora, comum a maioria dos municípios interioranos.

A riqueza que hoje se expande, sem dúvida, também é fruto de um grande labor, do colono, do escravo e do imigrante que sempre ofereceram seu trabalho com valor.

Paulínia, cidade rodeada pela mata de um verde esperança, continua a avançar, talvez não tão risonha e feliz como há alguns anos, mas com a certeza de que um futuro melhor ainda está por vir.

 

2º maior PIB do país

Paulínia tem o 2º maior PIB do país. O indicador mostrou que, para cada morador da cidade, é gerada riqueza de R$ 216, 9 mil. Os dados são do IBGE e fazem parte do relatório do PIB dos municípios.

Toda a arrecadação financeira, advinda principalmente dos impostos gerados pela refinaria da Petrobras em Paulínia, a Replan (Refinaria do Planalto), e do polo petroquímico instalado em seu entorno, deixa a cidade entre as 50 mais ricas do País, contribuindo para que o PIB da RMC chegasse aos R$ 74,1 bilhões em 2007, valor que representa 2,60% do PIB nacional e 7,67% do Estado de São Paulo.

No conjunto das 19 cidades que compõem a RMC junto com Paulínia, cinco estão entre as 100 que mais produzem riquezas no Brasil.

 

Das sesmarias ao progresso

A história de Paulínia tem início na década de 1780, quando o governo português doou duas grandes sesmarias na região entre os rios Atibaia e Jaguari. A população paulinense foi formada, principalmente, por imigrantes italianos, que substituíram os escravos que trabalhavam nas fazendas após a abolição da escravatura, em 1888.

Emancipação

Na época de sua emancipação, Paulínia contava com seis mil habitantes, dos quais quatro mil viviam nas fazendas, enquanto os demais se dividiram entre as pequenas áreas rurais próximas de onde hoje é o Centro da cidade. A cidade, apesar de já contar com algumas pequenas indústrias de cerâmica e tecelagem, tinha sua principal fonte de renda atrelada à lavoura de café, algodão, laranja e cana de açúcar, esta última, explorada primeiro com a chegada da francesa Rhodia, em 1942.

 

Replan

Com a efetivação da Replan, a cidade tornou-se foco maior de imigrantes em busca de trabalho. Há registros da década de 70 comprovando que a cidade passou de 6,9 mil habitantes neste ano para 28.620 em 1973, triplicando o número de moradores. A Replan foi construída exatamente em mil dias e começou a funcionar três meses antes da data prevista. A construção chegou a envolver seis mil homens com jornada diária de 15 horas. No local do terreno doado à Petrobras havia uma plantação de cana que pertencia à antiga proprietária, a Rhodia. Toda a cana foi doada à Igreja Católica, que vendeu e conseguiu fundos para a construção da Igreja Matriz Sagrado Coração de Jesus.

 

Corte do bolo será no João Aranha

O tradicional corte do bolo acontecerá no Ginásio de Esprotes do João Aranha. O evento é aberto à população e será realizado das 14 horas às 16 horas.  A programação conta com atividades recreativas para as crianças, além da distribuição do bolo e refrigerante.

Já a partir das 19 horas haverá a Abertura da Temporada da Orquestra Sinfônica da Unicamp 2018, em comemoração ao dia 28 de Fevereiro “Aniversário de Paulínia”, no Theatro Municipal de Paulínia, com entrada gratuita.

Para o chefe de gabinete da secretaria de Turismo, Carlos Alberto Coelho, o ´Grilo´, a festa é uma grande oportunidade para reunir a população e, ao mesmo tempo, propiciar entretenimento e lazer para as crianças. Para o prefeito Dixon Carvalho, a comemoração de 54 anos fará com a administração trabalhe muito mais e assim dar um presente para a cidade e sua população . Devemos redobrar nossos esforços. Nossa administração e a população de Paulínia ainda vai ter muito que comemorar, afirma Dixon.

Serviço

Data – dia 28/02 (Quarta-feira)

Das 14h às 18h

Local: Ginásio de Esportes Agostinho Favaro “Lara”

Artigo anteriorMembros do PAM realizam primeira reunião de 2018
Próximo artigoMais de 2 mil crianças ficam sem transporte escolar