Início Policial Polícia desarticula quadrilha “ficou rica” adulterando combustível

Polícia desarticula quadrilha “ficou rica” adulterando combustível

Depósito clandestino tinha 90 mil litros de combustível armazenado. Empresários de cidades do interior do estado de São Paulo e Minas Gerais são suspeitos de participação
Depósito clandestino tinha 90 mil litros de combustível armazenado. Empresários de cidades do interior do estado de São Paulo e Minas Gerais são suspeitos de participação

Nove pessoas foram presas e 90 mil litros de combustível adulterados foram apreendidos no flagrante. Empresários suspeitos estão sendo investigados

Policiais da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) do Rio de Janeiro realizaram no mês passado uma operação que desarticulou uma quadrilha de adulteração de combustível de Duque de Caxias, que fornecia o produto para diversas cidades do Brasil. Na ação, a polícia apreendeu cerca 105 mil litros de combustível e sete pessoas, entre elas o químico responsável pelo depósito. Segundo informações do delegado responsável, Alessandro Petralanda, este é o maior depósito já descoberto pela unidade.
Foram três semanas de investigação que levaram ao depósito em que foram encontrados mais de 90 mil litros de combustível feito de forma artesanal, sem qualquer controle.
“Seguimos caminhões suspeitos e chegamos até esse depósito. O local tinha grande movimentação de veículos especializados, o que não era comum para aquele local”, explicou o delegado Petralanda. Em uma campana durante a madrugada de sexta, policiais da DDSD conseguiram pegar um veículo que estava saindo do depósito. “Nesse caminhão encontramos 15 mil litros de combustível adulterado. Lá dentro, no depósito, achamos mais de 90 mil litros prontos para distribuição”, contou Petralanda.
O delegado afirmou que é grande a possibilidade de que a quadrilha seja bem maior. “Noventa mil litros é muita coisa e estamos na primeira fase da investigação”, declarou. Ainda segundo ele, a quadrilha lucra R$ 1 por cada litro de combustível adulterado. “Com a movimentação que foi monitorada, calculamos que o lucro deles chegue a R$1 milhão por mês”, disse Petralanda.
Ainda de acordo com o delegado, com a investigação mais avançada, novas pistas estão aparecendo e redirecionando os policiais para outras cidades. “Já temos indícios que a quadrilha tenha a participação de empresários em cidades do interior do estado de São Paulo e Minas Gerais. A investigação vai continuar até conseguirmos desarticular e prender toda a quadrilha”, encerrou.