Início Destaques Populares comemoram 7 de Setembro na Prefeitura

Populares comemoram 7 de Setembro na Prefeitura

Sem desfile no Sambódromo, Paulínia perde uma de suas mais importantes e tradicionais manifestações populares

Grupo chegou cedo à Prefeitura no feriado, executou o Hino Nacional com carro de som contratado e garantiu que a Bandeira Nacional fosse hasteada

Texto: Michele Carneiro
Foto: Divulgação

Um grupo de manifestantes paulinenses promoveu um ato popular na quarta-feira, 7 de setembro, para comemorar a Independência do Brasil. Comandado pelo funcionário público e blogueiro Roger Dance, vestido com as cores nacionais, o grupo levou um carro de som para chamar a atenção da população e das autoridades e promover a execução do Hino Nacional Brasileiro no Paço Municipal, no Parque Brasil 500.

Tradicional ponto de encontro dos eventos culturais em Paulínia, neste ano, o espaço público mais adequado para os atos cívicos, o Sambódromo, estava vazio, tomado apenas pelas estruturas metálicas das gigantescas tendas que servirão para o rodeio privatizado e apoiado pela Prefeitura de Paulínia.                                                                           

O desfile de Independência no Sambódromo de Paulínia sempre esteve entre as manifestações mais populares da cidade. Anualmente, o ato cívico do 7 de setembro reunia cerca de 15 mil pessoas de Paulínia e região. No entanto, este ano, nem a Bandeira Nacional encontrava-se presente no prédio público da Prefeitura. E justamente por conseguir que o Pavilhão fosse hasteado, o grupo de apenas 20 manifestantes populares sentiu-se orgulhoso de promover o encontro cívico.

“É com alegria e sentimento de dever cumprido que começo esta postagem”, descreveu Roger em seu blog, o movimentopaulinia.blogspot.com na tarde desta quinta-feira, dia 8. “A comemoração popular do 7 de Setembro foi realmente um sucesso. Podemos nos orgulhar e dizer que Paulínia faz sim parte de um todo. Paulínia faz sim parte do Brasil. Não vai mais passar em branco devido à total falta de responsabilidade de um gestor em não realizar nosso tradicional evento, o Desfile de 7 de Setembro”, registra Roger Dance.

Manifesto garantiu hasteamento da Bandeira Nacional
De acordo com o organizador do ato popular, que mobilizou o encontro por meio de avisos nas redes sociais na Internet, o grupo começou a chegar em frente à Prefeitura de Paulínia por volta das 8 horas.

“Colocamos uma música para deixar o ambiente agradável e as pessoas, vestidas com as cores do nosso Brasil vieram de todos os cantos da cidade. No entanto, justamente no dia da comemoração que representa nossa Independência não havia nenhuma bandeira em frente à Prefeitura. Um prédio que representa o símbolo de toda uma cidade estar sem nossa Bandeira Nacional é uma afronta e total falta de respeito ao sentimento patriótico”, avalia Roger Dance.

Para garantir o hasteamento da Bandeira, por volta das 9 horas o grupo abordou o secretário municipal de Segurança, coronel Ronaldo Pontes Furtado, que passava pelo local.

O momento solene ocorreu por volta das 10 horas. Posicionado com o carro de som em frente aos mastros da Prefeitura Municipal, o grupo executou o Hino Nacional Brasileiro e o coronel Furtado, como única autoridade presente, hasteou a Bandeira. “Confesso que foi muito bonito o momento, trazendo o nosso objetivo aflorar na pele, o sentimento de patriotismo. Agradeço sinceramente ao coronel Furtado em nome de todos os manifestantes que lá estavam, pela sua postura íntegra e exemplar. Como um honrado militar e brasileiro nos prestigiou com sua participação, dando uma enorme contribuição para o evento, deixando nós, paulinenses, muito orgulhosos. Graças a ele foi possível corrigir essa gafe cometida pela administração pública de Paulínia”, reforça Roger.

Para encerrar o encontro, Roger Dance colocou para executar no carro de som o discurso que gravou às 5 horas da manhã do feriado. Acompanhe no destaque que acompanha essa reportagem, seu anúncio na íntegra.

Um brasileiro honrado.
Hoje levantei às 5 horas da manhã disposto a fazer a diferença, disposto a ser um brasileiro honrado pelo país que vivo. Então, tomei a liberdade de escrever esse discurso.

Quero começar agradecendo a todas as pessoas presentes, aos pais e mães de família e suas crianças que no dia de hoje se colocaram de pé e vieram até aqui para representarem nossa cidade nesse acontecimento tão importante para o Brasil. Agradecer também a todos que de alguma forma nos ajudaram na elaboração da comemoração popular do 7 de setembro. Paulinenses que fazem a diferença em nossa cidade.

A comemoração popular do 7 de setembro nasceu do anseio de muitos paulinenses que se sentiram no dever de agraciar o sentimento patriótico. De fazer uma festa onde a população de nossa cidade pudesse se orgulhar do maravilhoso país em que vive e cria seus filhos. Não podemos esquecer que o Brasil não se faz só de política, não se faz só de capitalismo. Mas, principalmente de pessoas. Pessoas trabalhadoras, cidadãos de bem que sonham sempre em poder dar a seus filhos uma vida melhor.

Para isso é preciso amar e respeitar nosso solo sagrado em que vivemos. É preciso praticar o patriotismo e entender esse sentimento de amor pelo país em que se vive.

Busquemos no dia de hoje fazer uma reflexão de como está nosso país brasileiro. De como está nossa querida cidade de Paulínia. Hoje a administração pública de nosso município não está honrando o Brasil, não está nos dando uma luz, uma bonita lição de como e ser brasileiro. Hoje, dia 7 de setembro, não vamos ter nosso tão esperado desfile. Por conta de um rodeio que se tornou mais importante do que nosso sentimento patriótico.

Mas, muitos são os paulinenses que não cruzaram os braços, e, com isso, resolvemos fazer um ato cívico em respeito ao nosso país. Estamos hoje aqui, orgulhosos de poder representar nosso Brasil e sua grandiosidade. Essa “Comemoração popular do 7 de setembro” vai ficar marcada na história de Paulínia como um ato de protesto contra o cancelamento de nosso desfile, mas também como um ato de amor e grande carinho pelo Brasil. Espero sinceramente que nossas gerações futuras não precisem mais passar por um momento desses.

Onde houve uma irresponsabilidade da atual administração em cancelar nosso desfile, nossa comemoração. Onde o povo teve que se mobilizar para comemoração da independência do Brasil. E num ato de cidadania, orgulhar nosso querido país por não terem esquecido que são brasileiros. Graças a todos que hoje aqui está, Paulínia não passará em branco. Paulínia não precisará se envergonhar perante toda uma nação. Somos, hoje, herois da resistência. Herois de uma cidade que seus governantes esqueceram o que é mais importante.

Mas, nós não esquecemos, por isso estamos aqui. E como diriam nossos soldados das Forças Armadas Brasileiras: “Brasil acima de Tudo”!