Início Paulínia Por reajuste salarial, funcionários da Replan paralisam atividades

Por reajuste salarial, funcionários da Replan paralisam atividades

Funcionários terceirizados da Replan interromperam as atividades nesta manhã de quinta-feira

Motivo da assembleia foi a primeira votação da pauta de reivindicação; polícia Rodoviária e Militar foram chamadas para controlar o trânsito.

Uma reivindicação por aumento salarial atrapalhou o trânsito na Rodovia Zeferino Vaz e atrasou a entrada na manhã desta quinta-feira (14) dos funcionários terceirizados das obras de expansão da Refinaria do Planalto (Replan), em Paulínia. A mobilização foi organizada pelos representantes dos trabalhadores do setor de construção civil.

Segundo o Sindicato da Construção Civil, o motivo foi uma assembleia para votar a primeira pauta de exigências da categoria, que deve ser discutida e definida até o dia 1º de maio, que é a data base.
Os representantes do sindicato também afirmaram que a categoria pede ajuste salarial de 10%, aumento do vale refeição de R$ 420 para R$ 550 e ainda o programa de participação nos lucros de R$ 2 mil pra R$ 3 mil.
Por conta da paralisação, o trânsito foi prejudicado na Rodovia Zeferino Vaz, que fica próximo do local. Uma Kombi com uma caixa de som ficou estacionada em uma das entradas da refinaria e uma fila com ônibus, caminhões-tanques de combustível, carros e vans se formou nas proximidades. Por isso, houve um atraso na entrada de funcionários do turno matutino, que não comprometeu o abastecimento de gás e combustível na região.
Três equipes da Polícia Rodoviária e uma da Militar foram acionadas por causa do trânsito que se formou na entrada da Replan, mas nenhum tumulto foi registrado e os funcionários já retornaram ao trabalho. O sindicato não informou o número total de funcionários que participaram da assembleia.
A Petrobrás, que responde pela unidade, informou por meio da assessoria que não responde pelos funcionários terceirizados. Também não relacionou as empresas envolvidas na reivindicação.