Início Empresarial Rhodia inaugura laboratório de biotecnologia industrial

Rhodia inaugura laboratório de biotecnologia industrial

O novo Laboratório de Biotecnologia Industrial fica no Centro de Pesquisa e Tecnologia
O novo Laboratório de Biotecnologia Industrial fica no Centro de Pesquisa e Tecnologia

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, inaugurou na terça-feira (2) o Laboratório de Biotecnologia Industrial (IBL, na sigla em inglês) na unidade de Paulínia. O novo espaço tem o propósito de ampliar o desenvolvimento de inovações ligadas à Química Sustentável.

Totalmente integrado, o laboratório é capaz de cobrir toda a cadeia de valor de biomassa, desde a sua caracterização até a fase de obtenção de novas moléculas e soluções. Segundo a assessoria de imprensa do grupo, a criação no Brasil desse novo laboratório foi uma escolha natural. “O Brasil é uma região privilegiada no mundo para o desenvolvimento de uma economia a partir de recursos renováveis. O país reúne todas as condições exigidas, como cadeias agrícolas competitivas e sólido conhecimento científico na área de biotecnologia. Esses ativos relevantes apoiam nossas ambições de aumentar o nosso portfólio de inovações com base em recursos renováveis”, afirma Louis Neltner, vice-presidente de Pesquisa e Inovação do Grupo Solvay.
Paralelamente, o Centro Pesquisa e Inovação de Paulínia, instalado no complexo químico da Solvay em Paulínia, está completando quatro décadas de atividades. Criado em 1975 para pesquisar a flora brasileira em busca de princípios ativos para uso em produtos farmacêuticos e agroquímicos, o CPP se consolidou como um dos polos globais de inovação do grupo e importante aliado dos negócios.
A equipe do Centro de Pesquisas reúne 90 profissionais entre pesquisadores, cientistas, doutores e pós-doc em diferentes ramos do conhecimento, e o pessoal administrativo.  Essa equipe trabalha em 13 laboratórios, sendo  cinco compartilhados (Biotecnologia Industrial, Meio Ambiente, Química Analítica, Físico-Química e Piloto de Processos Químicos) e oito dedicados a áreas de negócios específicas, para desenvolver produtos e aplicações que atendem diversos mercados importantes da economia, tais como automotivo e transportes, pneus, agro, alimentação humana e nutrição animal, beleza e cosmética, plásticos, têxteis, petróleo e gás, tintas, construção, calçados, produtos industriais, água e meio ambiente.
O Grupo Solvay, segundo nota distribuída à imprensa, investe por ano em torno de 2,8% do seu faturamento em Pesquisa e Inovação. Em 2014, esse total chegou a 287 milhões de euros. E os resultados nesse campo têm sido muito positivos: em 2014 foram registradas 259 novas patentes. Atualmente, 21% do total do faturamento anual do grupo tem sido obtido com produtos com menos de cinco anos de existência.