Início Colunas Substituição temporária

Substituição temporária

A coluna Visto&Anotado vai substituir a coluna Politicando durante o período de eleições para falar sobre os acontecimentos cotidianos de Paulínia e, sobretudo, de política, o principal assunto da cidade nos próximos três meses. O objetivo é partilhar com os leitores do Jornal Tribuna um pouco mais da opinião pessoal da nossa equipe, sempre atenta aos detalhes que envolvem a notícia. Para isso, eu, Michele Carneiro, tiro o pó da coluna que há algum tempo estava suspensa no portaltribuna.com.

Está dada a largada

A campanha eleitoral só começou oficialmente nessa sexta-feira, dia 6 de julho, mas, o clima anda quente já há algumas semanas. Nossa redação, por exemplo, já foi citada por um processo iniciado pela equipe do prefeito José Pavan Junior, que quer levar o discurso de Edson Moura Filho na convenção do PMDB à Justiça. Pavan parece não ter gostado de ser comparado a um pilantra, mas, não se importou em atacar o ex-prefeito Edson Moura e seu vice Bonavita, na convenção de seu partido sábado passado. Não é preciso ter provas para acusar?

Ritmo de eleição

Muito do que foi prometido há quatro anos está saindo do papel agora, às vésperas da eleição. O discurso oficial é de que a Prefeitura estava em dívida. Mas, a tal dívida não impediu Paulínia de voltar a ter rodeio nos últimos anos nem de trazer um festival internacional para a cidade. Não impediu, inclusive, que até o ano passado, a cidade sustentasse o festival de cinema que tem a assinatura de Edson Moura. Então, quer dizer que foi só de 2011 para cá, que foi possível aumentar a distribuição de cestas?

Quantidade sem qualidade

Mas, quantidade não quer dizer qualidade. Essa semana, uma mãe de três pequenos paulinenses chamou a reportagem do Jornal Tribuna para registrar a falta de qualidade dos alimentos que ela recebe em casa na cesta do PAS. Os três pacotes de linguiça calabresa traziam manchas esverdeadas no alimento, o macarrão estava grudado ainda dentro do pacote e o enlatado de sardinha estava enferrujado. Você compraria produtos assim? Você teria coragem de doar alimentos assim? Você alimentaria seus filhos com alimentos nessas condições?

Cesta ‘bem’ básica

Básico para uma família é aquilo que supre o dia-a-dia em suas necessidades primárias. Alimentação é uma dessas prioridades e Paulínia sempre foi capaz de oferecê-la com qualidade aos seus cidadãos menos privilegiados. Era assim na época do Caco. A opinião não é nossa, é da dona-de-casa entrevistada da página 7 desta edição, que não consegue sequer aproveitar os itens que não vêm ‘passados’ na cesta, como o achocolatado e o suco. Fora isso, aquilo que não dá para ser aproveitado também não pode ser trocado. Como fica quem tem fome?

Molecagem para professores

E enquanto o social vira discurso de campanha, os professores da rede municipal de ensino são obrigados a discutir assuntos de interesse da educação pública com vândalos invadindo o salão e soltando bombas por todos os lados. Não é só uma brincadeira sem graça de moleque mal educado, como também uma forma de coagir os profissionais. No corre-corre, ninguém se feriu, a não ser a liberdade de, independente da acidez política, discutir e reivindicar direitos.

Convenção não convence

Antes mesmo de abrir as portas do ginásio do João Aranha, a festa estava preparada para oficializar o atual prefeito como candidato do PSB. Até o nome  do prefeito acompanhado do número da campanha decoravam a fachada e a área interna do ginásio. Mas, a euforia vai parar na Justiça. Helinho, filiado no partido há seis anos e interessado em disputar a Prefeitura pela sigla, foi impedido até de votar e agora pretende cancelar o resultado divulgado como ‘por aclamação’ por uma Executiva nomeada um dia antes da votação. Sinais de desespero?

Artigo anteriorPavan foge da disputa com Helinho
Próximo artigoBraskem inaugura planta de PVC com maior investimento de sua história