Início Paulínia Empresa do Santa Terezinha pega fogo e chamas alcançam 20 metros de...

Empresa do Santa Terezinha pega fogo e chamas alcançam 20 metros de altura

Os moradores e funcionários de empresas, no Santa Terezinha, levaram um susto no final da manhã do último domingo, dia 2, após um incêndio de grandes proporções, com explosões e fogo alto, atingir a empresa Novas Técnicas de Asfalto (NTA), que fica no bairro. Os Corpos de bombeiros de Paulínia e Campinas; além de uma equipe formada por brigadistas de indústrias da cidade, foram acionados e conseguiram controlar o fogo após algumas horas. O incêndio destruiu o depósito de matéria prima, dois caminhões e a caldeira do local. Ninguém ficou ferido.

O incêndio foi notado pelo vigia da empresa, o porteiro, Mário Cardoso, 53 anos, por volta das 12 horas que acionou o Batalhão do Corpo de Bombeiros.  Ele percebeu o fogo em uma pilha de pneus que estava ao lado da caldeira, e que se alastrou rapidamente atingindo a caldeira e duas bases contendo materiais químicos (pó de asfalto).

No momento do incêndio havia algumas carretas dentro da empresa, carregadas com 20 mil litros de material inflamável cada uma. Motoristas que trabalham na empresa foram chamados às pressas para retirar os caminhões que estavam estacionados no pátio; além de ônibus de uma empresa de transporte coletivo, que fica vizinha a NTA. O galpão, de mil metros quadrados, armazenava resíduos de pneu em pó, alguns produtos químicos.

Um total de 15 caminhões de combate a incêndios, sendo seis dos batalhões do Corpo de Bombeiros de Campinas e Paulínia, foi utilizado na operação e o fogo foi controlado cerca de seis horas depois. A participação de empresas como Rhodia, Galvani, Orsa, Replan, entre outras, num total de 12, foram fundamentais para que o fogo fosse controlado. Ao todo, 48 bombeiros e brigadistas participaram da operação.

No momento mais crítico do incêndio, as labaredas atingiram ao menos 20 metros de altura e puderam ser vistas de longe por pessoas que transitavam em vários pontos da cidade, o que formou uma grande nuvem de fumaça que se projetou sobre a cidade.

Equipes da Polícia Militar e da Guarda Municipal participaram do incidente, auxiliando na orientação do trânsito. Os veículos que passavam pelo local, foram desviados para a Rodovia SP-332, facilitando assim o acesso somente aos veículos envolvidos na ocorrência, na região.

Os fatos foram apresentados no plantão policial. Foi acionado pericia técnica, que poderá determinar as causas do incêndio. As causas do incêndio serão investigadas pela polícia técnica, mas há suspeitas de que o fogo tenha começado devido a um curto circuito. De acordo com o Corpo de Bombeiros, foi o maior incêndio do ano na RMC.

O material que pegou fogo é pó de pneu, usado na fabricação de asfalto ecológico e altamente inflamável.

A fumaça produzida no incêndio libera substâncias como dióxido de carbono (CO2) e enxofre. Ambientalistas temem sobre as consequências do impacto deste material com o meio ambiente (principalmente a contaminação das águas subterrâneas e ortaliças cultivadas em chácaras nas proximidades).

A empresa Novas Técnicas de Asfaltos (NTA) surgiu em 1999 e possui duas empresas de produção de asfalto: Bauru e Paulínia. Em Paulínia ela mantém um centro de pesquisa e projetos, formado por dois laboratórios especializados em pesquisas de novos produtos e projetos de pavimentação, estruturado com os mais avançados equipamentos. A empresa produz o asfalto borracha, conhecido como asfalto ecológico.