Início Uncategorized SWU: QUEM LUCROU?

SWU: QUEM LUCROU?

Por Wilson Machado

Cadê os milhões que prometeram circular na cidade enquanto o SWU acontecia no Parque Brasil 500? Cadê que o comércio de Paulínia teve preferência em alguma coisa? Tirando o shopping – e só por sua proximidade -, os hoteis e os grandes supermercados que nem são de empresários paulinenses, nem restaurantes tiveram chance, loja de outros artigos então, nem pensar. Os ambulantes, coitados, tiveram de concorrer com gente que desembarcou de São Paulo para vender na rua e lá dentro do recinto. O paulinense foi ignorado, do começo ao fim!

SWU: DROGAS E LIXO!

Além de não trazer benefício para a cidade, o SWU comprovou que é mesmo só uma fachada vergonhosamente pintada de verde para sugar muito dinheiro do público. No final de semana, o Parque Brasil 500 virou uma imensa lata de lixo e reduto liberado para o consumo de drogas. A quantidade de plásticos, papeis, latas e vidros jogados no chão foi gigantesca. E com a chuva, grande parte escorreu para dentro dos bueiros. Para piorar, não há quem não tenha observado o uso indiscriminado de drogas, inclusive por adolescentes, durante todo o festival.

SWU: CAOS DA SAÚDE!

A Prefeitura de Paulínia fez questão de anunciar na semana passada que reforçou a equipe médica do Hospital Municipal para garantir atendimento durante o SWU. Porque não fazem o mesmo para atender a população que passa todos os dias esperando quase quatro horas para ser atendida? Acreditem, desde quinta-feira uma paulinense que vive e paga seus impostos na cidade, espera pela cirurgia de uma fratura exposta no braço, e pasmem, o braço dela está imobilizado com cabo de vassoura porque não tem tala no Pronto Socorro!

SWU: TERRA SEM LEI

Até bandeja de cocaína e arrastão teve dentro do SWU! Os banheiros das arquibancadas viraram moteis, dezenas de celulares e carteiras foram furtadas e muita gente se feriu nos bate-cabeças de quem estava na festa só para se aproveitar do fato de que a organização do festival não quis a circulação de Guardas Municipais e Policiais Militares lá dentro. Enquanto mentem que o SWU não foi um caos, reflita se compensa gastar milhões de dinheiro público para que uma empresa de fora lucre outros milhões e a cidade torne-se terra sem leis, sem prioridades!

SWU: DONO DA CIDADE

A verdade é que o SWU desembarcou em Paulínia como se a cidade fosse dele. Primeiro, conseguiu um patrocínio máster milionário que a Prefeitura ainda não teve coragem de divulgar. Depois, conseguiu que a concha acústica fosse demolida com dinheiro público e mesmo com o tal discurso de sustentabilidade, passou asfalto por cima do gramado. Aí, os alunos do Cemep ficaram sem aulas e para compensar a falta de condições de estudar, ganharam ingressos para ir a grande rave. Ou seja, vieram, bagunçaram tudo e vão voltar só o ano que vem para lucrar mais uma vez!

SWU E TODO O RESTO

Estamos chegando ao ano eleitoral e muita gente que passou os últimos anos sentado atrás de uma mesa, vai sair às ruas de novo, pedindo seu apoio e seu voto. Neste momento, é importante lembrar tudo o que aconteceu e fazer seus próprios questionamentos. Questione quem não apareceu para lutar pelos seus interesses e aquele que defendeu quem não lutou por eles. Questione por onde circulou o dinheiro de Paulínia durante quatro anos e qual o objetivo de manter o SWU na cidade enquanto no Hospital não tem nem tala e a população acometida por câncer não tem remédio para se tratar… questione!

Pense mais

“Uma pergunta prudente é metade sabedoria.” Francis Bacon

SWU: QUEM LUCROU?

Cadê os milhões que prometeram circular na cidade enquanto o SWU acontecia no Parque Brasil 500? Cadê que o comércio de Paulínia teve preferência em alguma coisa? Tirando o shopping – e só por sua proximidade -, os hoteis e os grandes supermercados que nem são de empresários paulinenses, nem restaurantes tiveram chance, loja de outros artigos então, nem pensar. Os ambulantes, coitados, tiveram de concorrer com gente que desembarcou de São Paulo para vender na rua e lá dentro do recinto. O paulinense foi ignorado, do começo ao fim!

 

SWU: DROGAS E LIXO!

Além de não trazer benefício para a cidade, o SWU comprovou que é mesmo só uma fachada vergonhosamente pintada de verde para sugar muito dinheiro do público. No final de semana, o Parque Brasil 500 virou uma imensa lata de lixo e reduto liberado para o consumo de drogas. A quantidade de plásticos, papeis, latas e vidros jogados no chão foi gigantesca. E com a chuva, grande parte escorreu para dentro dos bueiros. Para piorar, não há quem não tenha observado o uso indiscriminado de drogas, inclusive por adolescentes, durante todo o festival.

 

SWU: CAOS DA SAÚDE!

A Prefeitura de Paulínia fez questão de anunciar na semana passada que reforçou a equipe médica do Hospital Municipal para garantir atendimento durante o SWU. Porque não fazem o mesmo para atender a população que passa todos os dias esperando quase quatro horas para ser atendida? Acreditem, desde quinta-feira uma paulinense que vive e paga seus impostos na cidade, espera pela cirurgia de uma fratura exposta no braço, e pasmem, o braço dela está imobilizado com cabo de vassoura porque não tem tala no Pronto Socorro!

 

SWU: TERRA SEM LEI

Até bandeja de cocaína e arrastão teve dentro do SWU! Os banheiros das arquibancadas viraram moteis, dezenas de celulares e carteiras foram furtadas e muita gente se feriu nos bate-cabeças de quem estava na festa só para se aproveitar do fato de que a organização do festival não quis a circulação de Guardas Municipais e Policiais Militares lá dentro. Enquanto mentem que o SWU não foi um caos, reflita se compensa gastar milhões de dinheiro público para que uma empresa de fora lucre outros milhões e a cidade torne-se terra sem leis, sem prioridades!

 

SWU: DONO DA CIDADE

A verdade é que o SWU desembarcou em Paulínia como se a cidade fosse dele. Primeiro, conseguiu um patrocínio máster milionário que a Prefeitura ainda não teve coragem de divulgar. Depois, conseguiu que a concha acústica fosse demolida com dinheiro público e mesmo com o tal discurso de sustentabilidade, passou asfalto por cima do gramado. Aí, os alunos do Cemep ficaram sem aulas e para compensar a falta de condições de estudar, ganharam ingressos para ir a grande rave. Ou seja, vieram, bagunçaram tudo e vão voltar só o ano que vem para lucrar mais uma vez!

 

SWU E TODO O RESTO

Estamos chegando ao ano eleitoral e muita gente que passou os últimos anos sentado atrás de uma mesa, vai sair às ruas de novo, pedindo seu apoio e seu voto. Neste momento, é importante lembrar tudo o que aconteceu e fazer seus próprios questionamentos. Questione quem não apareceu para lutar pelos seus interesses e aquele que defendeu quem não lutou por eles. Questione por onde circulou o dinheiro de Paulínia durante quatro anos e qual o objetivo de manter o SWU na cidade enquanto no Hospital não tem nem tala e a população acometida por câncer não tem remédio para se tratar… questione!

 

Pense mais

“Uma pergunta prudente é metade sabedoria.” Francis Bacon