Início Região Taxistas protestam contra circulação de carros do Uber em Campinas

Taxistas protestam contra circulação de carros do Uber em Campinas

Táxis participam de protesto na região central de Campinas contra o Uber
Táxis participam de protesto na região central de Campinas contra o Uber

Motoristas licenciados querem que Prefeitura impeça os ‘clandestinos’. Veículo do Uber com placas da capital foi apreendido esta semana

Cerca de 300 taxistas de Campinas, segundo a Polícia Militar, fizeram uma carreata pelas ruas da região central da cidade nesta sexta-feira (31) em protesto contra a circulação de carros do aplicativo Uber. De acordo com o sindicato da categoria, o ato é contra o transporte remunerado de passageiros em carros sem licença. A Emdec informou que o serviço do aplicativo é clandestino.
O aplicativo da empresa Uber tem a finalidade de conectar motoristas autônomos e passageiros em busca de transporte.
O protesto começou por volta das 10h40 e o destino dos taxistas que participavam da manifestação era o prédio da Prefeitura. Da sede do sindicato no bairro Bonfim, eles seguiram pelas avenidas João Jorge e Moraes Salles, Rua Irmã Serafina, até chegar na sede da administração municipal.
Para o presidente do sindicato, Jorge Pansani, a administração precisa conter a entrada dos motoristas do Uber na cidade, que já tem sido percebida pelos taxistas. “É sobre a Uber e os ‘placas brancas’ de Campinas. Tem muito clandestino. Estamos abrindo um processo civil público pra proibir a entrada do Uber na cidade, pra mostrar para as autoridades que estamos vivos”, afirma. Os “placas brancas” são motoristas que atuam em porta de hotéis, segundo Pansani.

Transporte pelo aplicativo é clandestino

A Emdec informou, em nota, que o “transporte remunerado de passageiros intermediado pelo aplicativo é clandestino. Táxi é um serviço de utilidade pública que necessita autorização do órgão competente. O Poder Público deve planejá-lo, gerenciá-lo e fiscalizá-lo, definindo inclusive o tipo de veículo e o valor da tarifa. As permissões são outorgadas por meio de licitação”.
De janeiro a maio deste ano, a entidade registrou sete autuações de motoristas que cobram pelo transporte clandestino de passageiros na cidade. A multa é de R$ 2.794,10, com apreensão do veículo.

Posição da Uber
Por telefone, a empresa Uber informou que não opera em Campinas e que os carros não são identificados com placas do aplicativo. São somente carros pretos, modelo sedan, que precisam cumprir pré-requisitos, assim como os condutores, para entrar no sistema.
O aplicativo funciona em quatro cidades do Brasil: São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília e informou que não há plano de expansão para qualquer outra cidade, por enquanto. Os usuários que estiverem fora dos locais de cobertura não têm como solicitar um carro pelo aplicativo, segundo a empresa.
O passageiro cadastra o cartão de crédito e o pagamento só pode ser feito por meio do sistema. Se o motorista cadastrado não mantiver a qualidade esperada e cobrada pela Uber e pelos próprios usuários, ele pode ser descadastrado do aplicativo.
Segundo a empresa garantiu, em nota, “antes de aprovar um motorista como parceiro da Uber, é feita uma checagem de antecedentes nas esferas federal e estadual para verificar a idoneidade do aplicante. Ele precisa ser um motorista profissional, ou seja, deve possuir carteira de motorista com licença para exercer atividade remunerada (EAR)”.