Início Uncategorized Carnaval do curral

Carnaval do curral

Do mesmo jeito que no ano passado a população de Paulínia deixou de ter um desfile de 7 de Setembro decente, este ano, ela será penalizada com um carnaval que não parece carnaval. Mais uma vez, o prefeito-muleta que mais parece um ditador, coloca seus gostos e interesses acima dos da população. Nada contra a música sertaneja, que aliás, eu ouço e gosto, mas carnaval é carnaval! A população espera por machinhas, sambas-enredos, axé, os grandes desfiles de escolas de samba como os que a gente tinha na época do Edson Moura, e não mais um rodeio! Se o prefeito não consegue curtir o carnaval como ele é, que fique em casa, mas não obrigue a população a conviver só com o que ele quer, né? O dinheiro de Paulínia deve ser investido pensando na população e não no gosto pessoal de um manda-chuva!

RESTROSPECTIVA III

Estou mantendo a retrospectiva dessa coluna porque muita gente, muita mesmo, tem vindo falar comigo e notado que os apontamentos registrados desde abril do ano passado continuam pertinentes até hoje. Infelizmente, até muitas das cobranças são as mesmas, porque ao invés de olhar para a necessidade da população, estamos fadados, por mais dez meses, a um governo desonesto, sem liderança, sem palavra, sem carisma, que só olha para o seu próprio umbigo!

TSUNAMI

Dezembro/2011 – Administração Pavan pode ser definida em uma única palavra: tsunami. Principalmente neste último ano, quanta coisa triste aconteceu em Paulínia. Falta frequente de remédios nos postos, utilização indevida e escancarada de dinheiro público, greve, demolição do patrimônio que é nosso, e tantas outras coisas. E agora, para fechar o ano com chave de ouro, as demissões do Caco e o rombo nos cofres públicos. O Ministério Público, que já passou por cidades como Limeira e Campinas, poderia nos fazer uma visita para colocar ordem na casa.

$USTENTABILIDADE

Novembro/2011 – Já falei aqui que o tipo de sustentabilidade do SWU não tem a ver com meio ambiente. Deve ser sustentabilidade financeira desse monte de gente que vem de fora sucatear a fazenda em que a cidade se tornou com o xerifinho da Prefeitura. A última novidade deles foi asfaltar a área toda que havia em volta da Concha Acústica. Isso mesmo, asfaltaram! Com medo de chuva e lama, resolveram socar pedra e massa quente por cima. Cadê a sustentabilidade ambiental? O SWU é só uma jogada de marketing pintada de verde!!! Daqui a algum tempo, olhe para trás e veja se consegue contabilizar algum benefício desse festival.

PRESSÃO NA SAÚDE

Outubro/2011 – Esta semana recebemos uma nota de ‘esclarecimento’ da Prefeitura pedindo retratação por termos dado manchete na semana passada sobre o vazamento de esgoto sujo com sangue e fezes do Centro Cirúrgico recém-inaugurado. E, muito me espantou o fato de que no ‘esclarecimento’, a Prefeitura cita os próprios funcionários e até a população como possíveis culpados pelo que chamou de ‘incidente hidráulico’. Pode isso?

O VAIADO

Setembro/2011 – Se por acaso, o tal prefeito vaiado entregar sequer uma casa e a reforma do Lar dos Velhinhos, temos que lembrar que quem deixou tudo isso engatilhado foi o verdadeiro prefeito dessa cidade, Edson Moura. Mas, já se vão quase três anos sem que nada realmente concreto aparecesse aos olhos da população. Não vamos deixar que a população esqueça disso e seja enganada no período de eleições. Porque é assim que a gente sabe que ele faz.

BANDEIRA X ARENA

Agosto/2011 – A população de Paulínia não tem liberdade nem de ser patriota. Como na Ditadura, o povo só tem a opção de obedecer ao comandante, no nosso caso, o xerife dos rodeios. Deixa-se as tradições de lado, ocupa-se o espaço público para uma festa particular feita com o dinheiro do povo e deixa o próprio povo na saudade. Foi isso que o prefeito fez. Ao invés do tradicional desfile de Independência que serve de encontro a centenas de famílias dos nossos alunos, o nosso Sambódromo, construído para o povo, está tomado com as tendas de custos milionários para o rodeio do prefeito!

FESTIVAL x POVO

Julho/2011 – Enquanto o Festival de Cinema feito por Edson Moura levava a população de graça para as sessões e aproximava a população do projeto, criando uma cultura nova de ir ao cinema em família, hoje ele vem acompanhado de um festival de MPB que cobra ingresso a valores exorbitantes, só para ricos. Reparem que a população de Paulínia não tem privilégio nenhum: paga meia como qualquer estudante com carteirinha ou como qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo que se cadastre no site do evento. Para eles, o paulinense que paga o imposto por toda a estrutura usada, não é prioridade!

SERVIDOR x COMÉRCIO

Junho/2011 – Outro reflexo negativo da administração muleta do Pavan sobre a greve é esse desconto do salário dos servidores. Com isso, sofre os funcionários e sofrem os comerciantes com a inadimplência. Boa parte da economia da cidade fica parada e com uma onda de reflexos a curto e longo prazos. São milhões de Reais que deixam de ser usados para pagar contas e outros milhões de Reais que deixarão de ser destinados ao consumo natural. Com isso, caem as vendas, comerciantes demitem e para recuperar o baque lá se vão, no mínimo, seis meses. Sem contar que a cidade gera menos arrecadação de impostos para a própria cidade. Ou seja, com o braço de ferro do Pavan, o giro da cidade toda fica emperrado.

ESCLARECENDO TUDO

Maio/2011 – Será que o Pavan achou que a gente ia engolir a conversa de que os bons resultados da Saúde de Paulínia fossem dele? Ah, por isso eu fiz questão de rebater e jogar a verdade num panfleto explicando toda a verdade, dizendo que ele quer levar a fama da gestão passada do quesito saúde. Mas nós vamos desmascarar, porque além de ser um péssimo gestor, ele tenta ludibriar as pessoas, é vingativo, e ainda por cima, mal assessorado. Infelizmente, temos de passar por isso, mas que sirva de lição pra gente olhar melhor para os nossos governantes, principalmente o caráter da pessoa, que é coisa que o Pavan não tem.

MISTÉRIO DO ROMPIMENTO

Abril/2011- Meses após sua posse, Pavan descarta o braço que o carregou nas eleições. Isso mesmo. Deixou de atender o Edson Moura, que inclusive, investiu recursos próprios na campanha. Todo mundo falava sobre o assunto a bocas miúdas, mas a confirmação do rompimento só veio quando o Edson não aguentou mais a falta de consideração de Pavan e foi à rádio Paulínia FM abrir o jogo à população. Ele contou tudo, tim-tim por tim-tim, mas já repararam que o Pavan nunca se pronunciou sobre o assunto? Até hoje, ele sequer teve a consideração de falar ao menos aqueles que o elegeram através dos votos do Edson, o motivo do rompimento. É, o poder lhe subiu à sua cabeça e lhe faltam argumentos!