Início Empresarial EMS inaugura nova planta de embalagem em Hortolândia

EMS inaugura nova planta de embalagem em Hortolândia


Geraldo Alckmin, Carlos Sanchez e Alexandre Padilha observam momento em que uma linha de embalagens da EMS é ligada

Unidade totalmente robotizada produzirá 76 milhões de unidades/mês, com geração de 200 empregos diretos

 

A EMS, maior laboratório farmacêutico brasileiro, deu o primeiro passo na concretização do maior plano de expansão da empresa e inaugurou, hoje, sua nova unidade de embalagem de medicamentos sólidos – a primeira de outras novas unidades fabris a serem inauguradas até 2014. A cerimônia oficial contou com a presença de autoridades políticas, como o Governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, além de prefeitos da região de Campinas (SP) e deputados federais e estaduais.
Na ocasião, houve uma cerimônia de inauguração da planta, com discurso do presidente do Conselho Administrativo da EMS, Carlos Sanchez, e visitação à nova instalação da EMS.
Localizado no complexo industrial da empresa em Hortolândia, o novo empreendimento contou com investimentos de R$ 150 milhões e ocupa uma área construída de 12 mil metros quadrados, com capacidade para 12 linhas de embalagem de alta velocidade, cada uma podendo embalar 600 blísteres por minuto. Com o início das operações, a empresa irá ampliar a capacidade de produção de medicamentos de atuais 45 milhões de unidades/mês para 76 milhões de unidades/mês. O início das operações da nova unidade possibilita a criação de 200 novos postos diretos de trabalho com perfil mais técnico. A unidade atenderá a expansão da produção da empresa.

Plano de Expansão

Com um investimento total de R$ 600 milhões, o plano de expansão da EMS contempla ainda a inauguração, até 2014, de outras novas unidades fabris em Manaus (AM), Brasília (DF) e Jaguariúna (SP). Em Manaus, a nova planta será destinada à produção de sólidos (comprimidos e cápsulas) e deve gerar cerca de 300 empregos diretos. Brasília terá uma planta voltada para a produção de medicamentos oncológicos, antibióticos e hormônios, e a previsão é de contratação direta de 300 colaboradores. Já a planta de Jaguariúna será destinada à produção de suplementos alimentares e irá originar 150 empregos diretos. Com todas as unidades em operação, a capacidade de produção da EMS passará para 1 bilhão de unidades/ano.
A empresa reafirma sua visão, ousadia e competência que a tornaram líder no mercado farmacêutico brasileiro. Pioneira na produção e comercialização de medicamentos genéricos no Brasil, a EMS investe constantemente no seu Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), um dos maiores e mais modernos da América Latina, desenvolvendo e disponibilizando produtos importantes para o mercado, como medicamentos de inovação incremental. Além disso, a EMS integra a recém-formada joint venture Bionovis – focada no desenvolvimento de medicamentos biológicos.  A EMS acredita no mercado farmacêutico brasileiro e continuará promovendo aos cerca de 190 milhões de brasileiros mais acesso a medicamentos fundamentais e o direto universal à saúde.